Polindo o Coração

Polindo o Coração

Polindo os Corações: Imam ibn al-Qayyim al-Jawziyyah (d.751 H), rahimahullaah (1)

Da revista al-Istiqaamah Shawwal 1418H / fev 1998

Allah – O Altíssimo – disse:

“Ó vós que credes! Invocai a Allah abundantemente “[Surah al-Ahzaab 33: 4I].


“e aos que se lembram amiúde de Allah e às que se lembram amiúde dEle” [Surah al-Ahzaab 33:35].

“E, quando houverdes encerrado vossos ritos, então, lembrai-vos de Allah, assim como vos lembráveis de vossos pais, ou mais veementemente, em lembrança” [Surah al-Baqarah 2: 200].

Estes versos contêm um comando para lembrar de Allah intensa e abundantemente, já que o adorador está em extrema necessidade [de relembrar de Allah] e não pode nada sem Ele, mesmo um piscar de olhos. Isso ocorre porque a cada momento que uma pessoa opta por não fazer dhikrullah (lembrança de Allah) não haverá qualquer benefício para ele. Em vez disso, os danos provocados por ser negligente com o dhikrullah são muito maiores que os benefícios que podem ser obtidos com ele. Um dos ‘aarifin (aqueles que estão bem informados sobre Allah) disse: “Se uma pessoa dispendesse número tal de anos envolvido [no dhikrullah], então ele dá as costas àquilo por um momento que seja, o que ele perderá é muito maior do que qualquer coisa que ele já ganhou”.

Al-Bayhaqi relata de ‘Aishah, radiallaahu ‘anhaa, que o Profeta, sallallaahu ‘alaihi wa sallam, disse: “Não há tempo em que o filho de Adam não se lembre de AIIah, exceto quando este for uma fonte de pesar para ele em Dia do Juízo Final”(2)

Mu’aadh ibn Jabal, radiallaahu ‘anhu, relata que o Profeta, sallallaahu ‘alaihi wa sallam, disse: “As pessoas do Paraíso não terão nenhum arrependimento, exceto naqueles momentos em que não estavam envolvidos no dhikrullah”(3)

Mu’aadh ibn Jabal também relata que Mensageiro de Deus, saws, foi perguntado: Qual ação é a mais amada por Allah?” Então, ele, saws, respondeu: “Que mantenhas tua língua úmida com o dhikrullah, até que tu encontres a morte.”(4)

Polindo o Coração

Abu Dardaa radiallaahu ‘anhu disse: “Para tudo há um polimento e o polimento para o coração é o dhikrullah”.

Al-Bayhaqi relata a partir de Ibn ‘Umar, radiallaahu ‘anhu, que o Mensageiro de Allah, saws, disse: “Para tudo há um polimento, e o polimento para os corações é o dhikrullah. Não há nada mais potente para salvar uma pessoa da punição de Allah do que o dhikrullah”. Foi falado: “Nem mesmo o jihad no caminho de Allah”. Então, ele respondeu: “Nem mesmo se tu continuasses a golpear com tua espada até que esta se quebrasse.”(5)

Não há dúvida de que os corações se tornam oxidados, assim como cobre e prata enferrujam. O polimento para [este ferrugem] é o dhikruIlaah. Isto porque ele [o dhikr] é como um polimento [que lustra o coração] como um espelho brilhante. Quando dhikr é deixado, o ferrugem retorna. Mas quando dhikr é praticado o coração é [novamente] polido. E corações enferrujam devido a duas coisas:

(I) a negligência da lembrança de Allah e

(II) a prática de pecados.

O polimento para estas duas coisas é:

(I) buscar o perdão de Allah e

(II) praticar o dhikr.

Confundindo a Verdade e Mentira

Quem esquece [a lembrança de Allah] a maior parte do tempo, então seu coração se tornará oxidado na mesma medida da negligência da pessoa. E quando este ferrugem acumula no coração, então a pessoa não é capaz de reconhecer mais as coisas como elas realmente são. Assim, ela vê a mentira como se fosse a verdade, e a verdade como se fosse mentira. Isto porque este ferrugem escurece e confunde a percepção do coração, e por isso é incapaz de discernir sobre a realidade das coisas. Assim como o ferrugem se acumula, o coração também pode ficar enegrecido, e quando isso acontece, o coração se torna manchado com este ferrugem imundo, corrompendo ainda mais a percepção do coração e o reconhecimento das coisas. O coração [então] não aceita a verdade nem rejeita a falsidade, e esta é a maior calamidade que pode atacar o coração. Ser negligente [em relação ao dhikr] e seguir os próprios caprichos e desejos é uma consequência direta em tais corações afetados pelo ferrugem e enegrecimento, e [ainda mais] extingue-se a luz do coração e cega sua visão. Allah – O Altíssimo – disse:

“…E não obedeças àquele cujo coração tornamos desatento à Nossa lembrança e que segue sua paixão e cuja conduta excede os limites.” [Surah al-Kahf 18:28].

Qualidades de um Guia

Assim, quando um adorador deseja seguir outra pessoa, então, permita-o observá-la: Será que essa pessoa faz parte do povo do dhikr, ou é das pessoas que são negligentes [em lembrar Allah]? Será que esta pessoa julga de acordo com seus caprichos e desejos, ou julga através da Revelação? Então, se ela julga por seus caprichos e desejos é, na verdade, daquelas pessoas que são negligentes; aqueles cujos negócios têm extrapolado os limites e cujas ações são perdidas.

O termo furat [que ocorre no versículo acima] tem sido explicado de várias maneiras. Foi explicado como: (I) perder as recompensas desse tipo de ação – ação esta necessária, e na qual reside o sucesso e felicidade; (II) a ultrapassagem dos limites de alguma coisa; (III) a destruição; e (IV) oposição à verdade. Todos estes significados são muito próximos uns dos outros.

O ponto é que Allah – Aquele livre de todas as imperfeições, o Altíssimo – proibiu seguir quaisquer daqueles que possuam tais atributos. Por isso, é absolutamente essencial que uma pessoa considere seu posicionamento caso tais atributos sejam encontrados em seu shaikh, ou na pessoa que é seu exemplo pessoal, ou mesmo a pessoa a que ele obedece. Se estes atributos são notados, então, o mais correto é distanciar-se de tal pessoa. No entanto, caso se verifique que a pessoa é, na maioria dos casos, preocupada com o dhikrullah e com a obediência à Sunnah, e seus atos não excedam os limites, mas, pelo contrário, é criterioso e resoluto em seus assuntos, então, deve-se agarrar a esta pessoa com muita firmeza.

Na verdade, não há diferença entre os vivos e os mortos, exceto com o dhikrullah; uma vez que Profeta, saws, disse: “O exemplo de alguém que se lembra de Allah e de alguém que não o faz, é como o exemplo entre os vivos e os mortos”(6)

Referências:

(1) AI-Waabilus-Sayyib min Kalimit-Tayyib (pp.78-82).

(2) Hasan: Relatado por Abu al-Nu’aym em Hiliyatul-Awliyaa (51361-362). Ele foi autenticado por Shaykh al-Albaani em Sahihul-Jaami ‘(No.5720).

(3) Sahih: Relacionadas por lbnus-Sunni em ‘Aml al-Yawma wal-Laylah (no.3). Consulte Sahihul-Jaami ‘(no.5446).

(4) Hasan: Relatado por Ibn Hibbaan (No.2318). Ele foi autenticado por Shaykh Salim al-Hilaali em Sahih al-Waabilus-Sayyib (p.80).

(5) Sahih: Relatado por Ahmad (4/352), a partir Mu’aadh ibn Jabal radiallaahu ‘anhu. Ele foi autenticado pelo al-Albaani em Sahihul-Jaami ‘(no.5644).

(6) Relatado por al-Bukhari (11/208) e Muslim (1/539).

Sobre o Coração