O que o Islam diz sobre Preconceito e Discriminação?

O que o Islam diz sobre Preconceito e Discriminação?

O que é discriminação e preconceito?

Discriminação é fazer uma distinção contra uma pessoa ou coisa com base no grupo, classe ou categoria a que pertence, em vez de basear o julgamento no mérito da ação individual.

Uma diferença simples entre preconceito e discriminação é que preconceito tem a ver com atitude, já a discriminação tem a ver com ação.

As formas de discriminação incluem calúnias verbais, falha em fornecer necessidades básicas, representação na mídia, remuneração justa, políticas justas de contratação e crimes de ódio. A discriminação pode ser cometida por indivíduos, grupos ou instituições.

A discriminação positiva ocorre quando um determinado grupo recebe privilégios especiais para compensar uma clara desvantagem. Por exemplo, pessoas com deficiência geralmente podem acessar as vagas de estacionamento mais próximas da entrada de um edifício.

O preconceito, por sua vez, pode existir onde quer que haja qualquer tipo de diferença entre as pessoas.

O preconceito com base no gênero é chamado de sexismo. Tanto mulheres, quanto homens podem ser vítimas disso, mas é mais comum que as mulheres sejam as vítimas.

O preconceito com base na etnia ou raça é conhecido como racismo. O preconceito de cor é a forma mais comum de racismo, já que a cor da pele é o sinal mais óbvio da raça à qual o indivíduo pertence.

É possível que ocorra racismo entre pessoas da mesma cor de pele. Ligados a isso estão os preconceitos com base na etnia – herança cultural, idioma, código de vestimenta tradicional, etc.

Existem formas de preconceito que combinam religião e raça e pode ser difícil distinguir entre os dois elementos. O preconceito em relação aos judeus é chamado de anti-semitismo. O preconceito em relação aos muçulmanos é denominado islamofobia.

Malcolm X disse: “A América precisa entender o Islam, porque esta é a única religião que apaga de sua sociedade o problema racial. Durante minhas viagens pelo mundo muçulmano, encontrei, conversei e até comi pessoas que, na América, seriam consideradas brancas, mas a atitude branca foi removida de suas mentes pela religião do Islam. Nunca antes tinha visto uma fraternidade sincera e verdadeira praticada por todos juntos, independentemente da cor.”

Quais são as causas e origens do preconceito?

Os motivos do preconceito variam. Alguns estão relacionados a eventos históricos. Frequentemente, o preconceito é baseado na ignorância e desinformação. A solução é a educação, mas muitas pessoas optam por permanecer ignorantes, pois seus preconceitos, muitas vezes, as fazem se sentir superiores.

Vítimas de um tipo específico de bullying podem se tornar elas mesmas agressoras. Da mesma forma, se uma pessoa foi vítima de preconceito, existe a possibilidade de que venha a ter opiniões similares em relação a outras pessoas.

A educação de uma pessoa pode fazer com que ela se torne preconceituosa. Se os pais tiverem preconceitos próprios, há uma chance de que essas opiniões sejam transmitidas à próxima geração.

Uma experiência ruim com alguém de um determinado grupo pode fazer com que uma pessoa pense em todas as pessoas desse grupo da mesma maneira. Isso é chamado de estereotipagem e pode levar ao preconceito.

A mídia também tem uma influência poderosa sobre as pessoas no século 21 e pode ser responsável por promover um estereótipo de um grupo específico.

Quais são os efeitos do preconceito e da discriminação?

O preconceito faz com que a vítima se sinta inferior à sua condição humana. Quando as pessoas são desvalorizadas pelos outros, sua autoestima é prejudicada e elas param de tentar melhorar a si mesmas.

Frequentemente, o preconceito pode levar ao bullying e outras formas de discriminação.

Isso cria uma atmosfera de medo pelo que pode acontecer a qualquer momento e medo pelo que o futuro reserva. As consequências do preconceito e da discriminação podem fazer com que indivíduos e comunidades inteiras se sintam vulneráveis, amedrontados e sem valor. Em casos extremos, isso pode levar uma pessoa ao suicídio ou, até mesmo, levar ao genocídio (como demonstrado durante a Segunda Guerra Mundial, com o extermínio de 6 milhões de judeus).

Discriminação positiva

Nem toda discriminação é algo ruim. Nas últimas décadas, leis foram aprovadas para criar facilidades a grupos minoritários ou portadores de deficiências e limitações (como, por exemplo, legislação que obriga um melhor acesso aos edifícios para pessoas com deficiência; ou política de cotas raciais e sociais em universidades, etc).

Algumas empresas, por exemplo, estabelecem cotas mínimas para o número de mulheres em cargos de autoridade ou cotas para pessoas portadoras de deficiência. Esse tipo de ação tem como objetivo mostrar que as pessoas que sofreram preconceito no passado têm plena capacidade de cumprir um papel importante na sociedade caso tenham oportunidade.

O Islam se espalhou primeiro por todo o Oriente Médio, absorvendo diferentes nacionalidades, costumes, classes sociais e religiões. Mais tarde, espalhou-se pela Ásia, Índia, África e Balcãs. Preconceito e discriminação não eram comuns nas sociedades muçulmanas devido à diversidade de seus habitantes. Essa tradição de tolerância se reflete nos ensinamentos do Islam.


Abu Nadrah, que Allah esteja satisfeito com ele, relatou: eu ouvi o sermão de despedida do Mensageiro de Allah, que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele:

“Ó povo, o teu Senhor é Um e teu pai Adão é um. Não há virtude de um árabe sobre um não árabe, nem de um não árabe sobre um árabe, e nem da pele branca sobre a pele negra, nem da pele negra sobre a pele branca, exceto pela taqwah. Eu não vos entreguei a mensagem?” (Musnad Ahmad 22978, classificado como Sahih)

Tolerância

A tolerância para com os não-muçulmanos nas sociedades islâmicas deriva do ensinamento do Profeta Muhammad, que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele, de que todo o Povo do Livro deve ser tratado com respeito. Povo do livro significa os seguidores de outras religiões monoteístas que tinham um texto sagrado revelado por Allah, louvado seja, ou seja, cristãos e judeus. É dito no Alcorão:

“E não discutais com os seguidores do Livro senão da melhor maneira – exceto com os que, dentre eles, são injustos – e dizei: “Cremos no que foi descido para nós e no que fora descido para vós; e nosso Deus e vosso Deus é Um só. E para ele somos muçulmanos (submissos).” (Surah al Ankabut, 29:46)

Justiça

O Alcorão ensina que a justiça se aplica a toda a humanidade, a todas as religiões:

“Ó vós que credes! Sede constantes em servir a Allah, sendo testemunhas com equanimidade. E que o ódio para com um povo não vos induza a não serdes justos. Sede justos: isso está mais próximo da piedade. E temei a Allah. Por certo, Allah do que fazeis, é Conhecedor.” (Surah al Maidah, 5:8)

Igualdade

Todas as pessoas, independentemente de sua origem, são iguais no Islam e a única coisa que as distingue é sua taqwah (seu nível de compromisso com sua religião).

“Ó homens! Por certo, Nós vos criamos de um varão e de uma varoa, e vos fizemos como nações e tribos, para que vos conheçais uns aos outros. Por certo, o mais honrado de vós, perante Allah é o mais piedoso. Por certo, Allah é Onisciente, Conhecedor.” (Surah al Hujjurat, 49:13)

Harmonia

O Alcorão afirma que as pessoas devem ser justas umas com as outras para ajudar a alcançar uma sociedade equilibrada e harmoniosa:

“Allah não vos coíbe de serdes blandiciosos e equânimes para com os que não vos combateram, na religião, e não vos fizeram sair de vossos lares. Por certo, Allah ama os equânimes.” (Surah al Mumtahina, 60:8)

Valor do indivíduo

A citação abaixo mostra que as crenças dos não muçulmanos devem ser respeitadas e que converter pessoas ao Islam à força é totalmente errado.

“Não há compulsão na religião!” (Surah al Baqara, 2:256)

Racismo

O racismo em qualquer forma é considerado inaceitável e errado. Os muçulmanos acreditam que todas as pessoas compartilham uma humanidade comum. Eles acreditam que o racismo, seja como preconceito ou discriminação, mina a dignidade das pessoas.

O Profeta repreendia seus companheiros se eles desprestigiassem pessoas por razão de sua raça. Como relatado por Abu Umamah, que ALlah esteja satisfeito com ele:

Abu Dharr repreendeu Bilal sobre sua mãe, dizendo: “Ó filho de uma mulher negra!” Bilal foi até o Mensageiro de Allah, (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), e contou-lhe o ocorrido. O Profeta ficou zangado e, então Abu Dharr veio, embora não soubesse o que Bilal lhe dissera. O Profeta se afastou dele e Abu Dharr perguntou: “Ó Mensageiro de Allah, tu te desviaste por algo que te foi dito?” O Profeta disse: “Tu reprovaste Bilal sobre sua mãe? Por Aquele que revelou o Livro a Muhammad, ninguém é mais virtuoso sobre outro senão por ações justas. Tu não tens nada senão um montante insignificante”. (Shu’b al-Iman 4760, classificado como Sahih)

Ibn Abbas, que Allah esteja satisfeito com ele, disse:

Um homem poderia dizer a outro homem “eu sou mais nobre do que tu”, mas ninguém é feito nobre senão pelo temor a Allah. (al-Adab al-Mufrad 898)

Não temos dúvida que o Islam trouxe a igualdade entre as pessoas, isso é afirmado no Alcorão, como visto acima e em outras passagens, como:

E, com efeito, honramos os filhos de Adão e levamo-los por terra e mar e demo-lhes por sustento das cousas benignas, e preferimo-los, nitidamente, a muitos dos que criamos. [Surah al Isra, 17:70]

E, dentre Seus sinais, está a criação dos céus e da terra, e a variedade de vossas línguas e de vossas cores. Por certo, há nisso sinais para os sabedores. [Surah ar Rum, 30:22]

Também, na sunnah de nosso amado Profeta Muhammad, (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), consta a igualdade e justiça. Como nos ahaadith a seguir:

Abu Mussa relatou do Mensageiro de Allah, (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele):

Certamente, Allah, o Exaltado, criou Adão de um punhado que Ele tomou da terra, assim os filhos de Adão vieram de acordo com a terra. Alguns vêm com pele vermelha, pele branca, ou pele preta e tudo o que esteja nela misturado: fina, grossa, suja e limpa. (Sunan At-Tirmidhi 2955, classificado como Sahih)

Abu Huraira relatou:

O Mensageiro de Allah, (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), disse: Verdadeiramente, Allah removeu de vós o orgulho do tempo da ignorância com a sua vanglória aos antepassados. Certamente, só se é um crente justo ou um pecador miserável. Todas as pessoas são filhas de Adão, e Adão foi criado do pó”. (Sunan At-Tirmidhi 3955, classificado como Sahih)

Uqbah ibn Amir relatou do Mensageiro de Allah, (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele):

Ninguém é melhor do que ninguém, exceto pela religião ou boas ações. É suficientemente ruim para um homem ser profano, vulgar, ganancioso ou covarde. (Shu’b al-Iman 4767, classificado como Sahih)

Abu Dharr relatou que o Mensageiro de Allah, (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), disse:

Contemplem! Na verdade, não há benefício na pele vermelha ou pele preta, mas sim na virtude da taqwah. (Musnad Ahmad 20885, classificado como Hasan)

Fonte: Trechos de um texto da bbc.co.uk adaptado e acrescido de evidências por Letícia de Paula

O Islam e o Ser Humano