Fofoca (Ghibah, Namimah e Tajassus): Definições, Como Lidar e Expiações

Fofoca (Ghibah, Namimah e Tajassus): Definições, Como Lidar e Expiações

Todos os louvores são para Allah.

Parte 1 de 3

  • Ghibah:

Ghibah (falar dos outros pelas costas, caluniar) é quando uma pessoa menciona as falhas do seu irmão muçulmano na sua ausência, de forma que ele não gostaria se ouvisse o que foi dito. A ghibah é feita quando não há necessidade, ou seja, excluem-se os casos em que exista uma razão válida de acordo com a sharia (jurisprudência islâmica), como alertar contra um inovador a fim de afastar as pessoas de sua bidah (inovação).

Então, a ghibah é falar sobre alguém de uma forma que não agradaria à pessoa, seja falando sobre seu corpo, família, caráter, ações, palavras ou sobre sua religião ou a vida, ou até mesmo falando mal sobre as suas roupas, casa ou carro.

No sahih Muslim está narrado sob a autoria de al-Ala ibn Abd al-Rahman, que ouviu de seu pai, que ouviu de Abu Hurairah (raa) que o Profeta (saws) disse: “Vocês sabem o que é ghibah?” Eles disseram: “Allah e Seu Mensageiro sabem melhor.” Ele disse: “É quando você diz algo sobre seu irmão que ele não gosta.” Ele foi questionado: “E se o que for dito sobre meu irmão for verdade?” Ele disse: “Se o que você disse for verdade, então você falou dele pelas costas, e se não for verdade você o caluniou.”

A calúnia é Haram (proibido), não importa qual a razão por trás disso; se é para acalmar a raiva, iniciar ou estabelecer uma conversa com pessoas, conciliar ou ser cortês com companheiros; incentivar outras pessoas a invejarem os outros; para se divertir, passar o tempo; ou apenas para fazer os presentes darem risadas. Allah, swt, proibiu isso, e advertiu seus servos contra a calúnia, Ele o Altíssimo diz: “Ó vós que credes! Evitai muitas das conjeturas. Por certo, uma parte das conjecturas é pecado. E não vos espieis. E não faleis mal, uns dos outros, pelas costas. Algum de vós gostaria de comer a carne de seu irmão morto? Pois, odiá-la-íeis! E temei a Allah. Por certo. Allah é Remissório, Misericordiador.” [Hujjurat:12]

Em um Hadith narrado por Abu Hurairah (raa), o Profeta (saws) disse: O muçulmano é inviolável por seu irmão muçulmano, no que diz respeito ao seu sangue, riqueza e honra. Relatado por Muslim. Ele (saws) disse em sua Khutbah final, em sua despedida do Hajj (Peregrinação): O seu sangue, suas propriedades e suas honras são tão sagrados um ao outro como a santidade deste dia, deste mês na vossa cidade. (Ouça) Não fui eu quem vos transmitiu a mensagem de Allah?Relatado por Al-Bukhari e Muslim. Abu Dawud narrou através de Nawfal que ouviu de Said ibn Zayd que o Profeta (saws) disse: “O tipo mais comum de juros (riba) é o ato de falar injustamente contra a honra de um muçulmano.” Os ahadith autênticos do Profeta (saws) que se referem à proibição e advertência contra a calúnia são inúmeros.

Os sábios concordam que é haram (proibido) falar pelas costas de alguém sem uma razão legítima. A maioria deles afirmou que este é um dos pecados maiores e pode ter vários graus, alguns tipos podem ser piores do que outros. Por exemplo, aquele que fala mal de um sábio não é como aquele que fala mal de uma pessoa desprovida de conhecimento.

Um dos piores tipos de ghibah, veementemente proibida, é diminuir um muçulmano e insultá-lo, mostrar desrespeito para com ele e lançar difamações sobre sua honra. Esta é uma característica reprovável e uma doença grave; é um dos pecados maiores e quem faz isso está sujeito à advertência e severa punição.

  • Namimah

Namimah significa contar a algumas pessoas o que foi dito sobre elas, a fim de causar problemas, ou seja, fofocar. A definição de namimah está ligada à revelação de segredos ou aquilo que não é apropriado divulgar.

Ibn Hajar al-Haythami narrou: “É dito em al-Ihya’: ela (a namimah) não se limita a isso, vai muito além, refere-se à divulgação de qualquer coisa que possa prejudicar ou ofender alguém se for divulgada, quer seja à pessoa sobre quem se fala, quer seja à pessoa que ouve a fofoca, ou até um terceiro; tanto se divulgada verbalmente, por escrito ou por meio de um sinal ou um gesto; quer seja transmitida como uma ação, uma palavra, uma falha ou uma deficiência da pessoa sobre quem se fala, ou de alguma outra pessoa.

Portanto, devemos ficar em silêncio e não mencionar aquilo que vemos sobre as pessoas, a menos que falar sobre isso traga algum benefício para um muçulmano ou o afaste de algum dano. Por exemplo, se você vê uma pessoa usurpando a propriedade de outro, então, você tem que prestar testemunho daquilo. Ao contrário se você vir alguém escondendo seu próprio dinheiro, então, falar sobre isso seria namimah e divulgação dos segredos de uma pessoa.

Se o que for falado é sobre uma falha ou defeito de alguém, então é ghibah (calúnia) e namimah (fofoca, maledicência).” (Al-Zawaajir, n° 252: Al-Namimah)

Foi narrado que al-Haafiz al-Mundhiri disse: “A ummah (nação islâmica) concorda, por unanimidade, que namimah é proibida e que é um dos maiores pecados aos olhos de Allah”.

O Profeta (saws) disse: “Nenhuma pessoa que transmite a namimah entrará no Paraíso”. De acordo com outro relato, “Nenhum bisbilhoteiro (qattaat)…” Narrado por al-Bukhari, 6056; Muslim, 105.

O qattaat é alguém que espalha namimah. Foi dito que a pessoa que divulga namimah é a pessoa que está em um grupo que está conversando, então ela espalha boatos sobre outros, e que o qattaat é aquele que ouve sem perceberem, então espalha fofocas sobre as pessoas.

Em al-Sahihein é narrado que Ibn ‘Abbaas disse: “O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) estava em um dos jardins de Madinah, e ouviu os sons de duas pessoas sendo atormentadas em suas sepulturas. Ele disse: ‘Eles estão sendo punidos, não por algo que era difícil evitar, mas que não deixa de ser um grande pecado. Um deles não se protegia da urina (ou seja, não se precavia para evitar a contaminação em si ou em suas roupas) e o outro costumava espalhar namimah.’”
(Al-Bukhari, 216; Muslim, 292).

  • Tajassus

Al-Nawawi disse: “Alguns dos estudiosos disseram que tajassus (bisbilhotagem ou espionagem) significa ouvir conversas de outras pessoas, e buscar suas falhas. Também foi sugerido que tajassus significa procurar segredos. A palavra é usada principalmente no sentido do mal. O jaasus (espião) é aquele que procura segredos com propósito mau e o naamus é aquele que procura segredos para bons propósitos. Tajassus, então, significa buscar informação sobre as circunstâncias de vida das pessoas.”

Também é narrado no Sahihein, por Abu Hurairah, que o Profeta (saws) disse: “Cuidado com a suspeita (desconfiança), pois a suspeita é o discurso mais falso. Não bisbilhoteis uns aos outros; não espioneis uns aos outros; não invejeis uns aos outros; não abandoneis uns aos outros; não odieis uns aos outros. Sejais irmãos, ó servos de Allah.” Al-Bukhari, 5144; Muslim, 2563.

Al-Bukhari (7042) narrou de Ibn ‘Abbaas que o Profeta (saws) disse: “Quem falar de um sonho que não sonhou será ordenado [no Dia do Juízo Final] a amarrar dois grãos de cevada juntos, e nunca será capaz de fazê-lo. Quem escutar as conversas de outras pessoas, quando elas não gostam, terá chumbo derretido derramado em seus ouvidos no Dia da Ressurreição. Quem fizer uma imagem será punido e condenado a soprar vida nela, e não será capaz de fazê-lo”.

Ahmad (19277) e Abu Dawud (4880) narraram também que Abu Barzah al-Aslami relatou: “O Mensageiro de Allah (saws) disse: ‘Ó vós que falais as palavras de fé, mas a fé não tem realmente entrado em vossos corações! Não caluniais os muçulmanos, e não procurais suas falhas. Pois quem procura os defeitos dos outros, Allah procurará seus defeitos, e se Allah procura falhas de uma pessoa, Ele a exporá mesmo em sua própria casa.'” Classificado como sahih por al-Albani em Sahih Abi Dawud, 4083.

Eu não creio um crente possa escutar todas estas evidências e, ainda assim, espionar seu irmão muçulmano, ou procurar os defeitos dele, ou espalhar namimah entre as pessoas ou, ainda, fazer ghibah. Eu espero que o crente seja um daqueles que se beneficia disso tudo que foi dito e preste atenção ao seu comportamento. Essas informações não são úteis para quem está ouvindo, mas são úteis para mim também. Não há uma única pessoa neste mundo que não incorra nesses pecados, muitas das vezes a gente os comete inconscientemente, o que é bastante perigoso… precisamos prestar mais atenção aos pequenos detalhes, aos momentos de raiva ou indignação, porque são neles que a gente se perde.

Etiqueta e Comportamento