Estatuto das Mães no Islam

Estatuto das Mães no Islam

Por Ansar Al-‘Adl

Esta é uma das coisas mais convincentes sobre o Islam – o tratamento das mulheres em geral e especialmente a alta posição das mulheres mantida no Islam.

Entre os exemplos mais claros que honram as mulheres é o grande estatuto da mãe no Islam. O Islam exige bondade, respeito e obediência aos pais e enfatiza especialmente e dá preferência à mãe, como será mostrado neste artigo. O Islam eleva os pais a um estatuto maior do que aquele encontrado em qualquer outra religião ou ideologia.

A exigência de ser bom para com os pais começa logo desde o Qur’an. Allah diz:

“Adorai a Deus e não Lhe atribuais parceiros. Tratai com benevolência vossos pais…” [Qur’an 4:36]

A menção de servidão aos pais segue imediatamente após a servidão a Allah. Isso é repetido em todo o Qur’an.

“O decreto de teu Senhor é que não adoreis senão a Ele; que sejais indulgentes com os vossos pais, mesmo que a velhice alcance um deles ou ambos, na vossa companhia; não os reproveis, nem os rejeiteis; mas, dirigi-lhes palavras honrosas. E estende sobre eles a asa da humildade, e diz: ‘Ó Senhor meu, tem misericórdia de ambos, como eles tiveram misericórdia de mim, criando-me desde pequenino!” [Qur’an 17:23-24]

O grande estudioso, Abu al-Faraj Ibn Al-Jawzi (d. 1201CE) explicou:

“Ser gentil com os pais é: obedecê-los quando eles pedirem para fazer alguma coisa, a menos que seja algo que Allah proibiu; dar prioridade aos seus pedidos acima de actos voluntários de adoração; abster do que eles o proíbam de fazer, mantê-los financeiramente; servi-los; oferecer ajuda com humildade e misericórdia; não levantar a sua voz à frente deles, nem fixar o seu olhar no deles, nem chamá-los pelos seus nomes próprios e ser paciente com eles”. [Ibn al-Jawzi, Birr al-Wâlidayn]

O Qur’an enfatiza o grande esforço que mãe faz para com o seu filho, para destacar a necessidade de uma reciprocidade do sacrifício dos pais pelos filhos:

“E recomendamos ao homem benevolência para com os seus pais. A sua mãe o suporta, entre dores e dores, e a sua desmama é aos dois anos. (E dizemos-lhe): ‘Agradece a Mim e aos teus pais, porque retorno será a Mim.’” [Qur’an 31:14]

O sheikh Abdur-Rahman As-Sa’di (d. 1956), fala sobre este versículo:

“{os seus pais} significa, seja gentil com os seus pais, chova sobre eles o amor, o carinho e devoção, tanto em palavras e actos, trate-os com terna humildade, provenha-os e nunca os prejudique verbalmente nem fisicamente. […]

Depois, Allah menciona a razão pela qual devemos ser gentis com os nossos pais, quando Ele diz {sua mãe o suporta, entre dores e dores}, isto é, a mãe esforçou-se em constante sofrimento; com dor e dificuldade desde o primeiro momento em que ela sentiu a criança a mover no seu ventre para as piores dores durante o parto. E {a sua desmama é aos dois anos}, isto é, durante esses dois anos a mãe amamenta a sua criança e cuida dele/dela. Então, depois de todos esses anos de sofrimento, privação, amor e carinho, não poderíamos, pelo menos, compensar as nossas mães pelo que elas fizeram por nós e pagá-las de volta os seus direitos?” [Taysîr al-Karîm ar-Rahmân fî Tafsîr al-Kalâm al-Manân]

O Qur’an repete a sua menção dos esforços da mãe noutra passagem:

“E recomendamos ao homem benevolência para com os seus pais. Com dores, a sua mãe o carrega durante a sua gestação e, posteriormente, sofre as dores do seu parto. E da sua concepção até à sua ablactação há um espaço de trinta meses, quando alcança a puberdade e, depois, ao atingir quarenta anos, diz: ‘Ó Senhor meu, inspira-me, para praticar o bem que Te compraz, e faz com que minha prole seja virtuosa. Em verdade, arrependi-me a Ti, e me conto entre os muçulmanos.’” [Qur’an 46:15]

Em relação a esta passagem, o falecido sheikh Muhammad Shafy (m. 1976) escreveu:

“A mãe tem mais direitos do que o pai, embora a primeira parte deste versículo ordene para fazer o bem a ambos os pais, a segunda frase refere-se apenas às dificuldades sofridas pela mãe porque elas são inevitáveis e nenhuma criança pode nascer sem elas. Toda a mãe tem que passar por problemas de gravidez e fortes dores de parto. Contra isso, não é necessário que um pai sofra qualquer dificuldade ao criar e educar a criança, se ele pode dar ao luxo de pagar alguém para esses serviços. É por isso que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) deu mais direitos à mãe do que a qualquer outra pessoa. […]

“E da sua concepção até à sua ablactação há um espaço de trinta meses…” [Qur’an 46:15]

Esta frase também descreve as dificuldades sofridas pela mãe por causa do seu bebé. Ressalta que, mesmo depois de sofrer as dificuldades durante a gravidez e as grandes dores de parto, a mãe não obtém alívio do trabalho duro, pois o alimento natural da criança está nos seus seios e ela tem que amamentá-la.” [Shafy, Ma’âriful Qur’an [Eng. Trans.], Vol. 7, pp 795-796]

O Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) costumava lembrar continuamente os seus seguidores sobre o estatuto da mãe e da obrigação de ser bom para os pais. A narração seguinte é um belo exemplo da posição nobre da mãe:

Um homem veio ao Profeta e disse: “Ó Mensageiro de Allah! Quem dentre a humanidade merece a melhor da minha companhia?”. Ele respondeu: “A sua mãe”. O homem perguntou: “Depois quem?” Então, ele respondeu: “A sua mãe”. O homem então perguntou: “Depois quem?”. Assim, o Profeta respondeu novamente: “A sua mãe”. O homem então perguntou: “Depois quem?”. Então, ele respondeu: “Depois o seu pai”. [Sahih Al-Bukhari e Sahih Muslim 5971 7/2]

Comentando sobre este hadith, Muhammad Ali Al-Hashimi nota:

“Este hadith confirma que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele)  deu prioridade ao tratamento gentil para com a mãe sobre o tratamento gentil para com o pai”. [Al-Hashimi, The Ideal Muslimah, IIPH 2005, p. 165]

Da mesma forma, o sheikh Abdul-Aziz Ibn Baz (m. 1999) comenta sobre este hadith:

“Então, isto requer que seja dado à mãe três vezes o tipo de gentileza e bom tratamento dado ao pai”. [Majmoo ‘Fataawaa wa Maqalat Mutanawwi’ah]

Ele também escreve:

“O segredo da sua importância [da mãe] reside no enorme peso e responsabilidade que é colocado sobre ela e as dificuldades que ela tem de carregar – algumas responsabilidades e dificuldades que nem sequer um homem suportaria. É por isso que a partir das obrigações mais importantes de uma pessoa é mostrar gratidão à mãe e gentileza e companheirismo para com ela. E nesta matéria, ela é dada precedência sobre e acima do pai […] E eu não tenho nenhuma dúvida de que a minha mãe – que Allah chova a Sua misericórdia sobre ela – teve um efeito enorme em mim, incentivando-me a estudar; e ela ajudou-me nisso. Que Allah aumente imensamente a sua recompensa e a recompense com a melhor das recompensas pelo que ela fez por mim”. [Majmoo ‘Fatawa wa Maqalat Mutanawwi’ah]

O Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) também disse numa famosa narração: “O Paraíso está aos pés da sua mãe.” [Musnad Ahmad, Sunan An-Nasa’i, Sunan Ibn Majah]

O que pode ser a maior evidência de homenagem às mulheres do que isto? O Islam colocou efetivamente a recompensa final para os seres humanos na devoção às suas mães.

O sheikh Ibrahim Salih Ibn Al-Mahmoud escreve:

“Trate a sua mãe com o melhor companheirismo, [e só] depois o seu pai; porque o Paraíso está sob os pés da mãe. Nunca desobedeça aos seus pais, nem os irrite, senão você vai viver uma vida miserável neste mundo e no outro e os seus filhos tratá-lo-ão da mesma forma. Pergunte aos seus pais gentilmente se eles precisam de alguma coisa. Sempre os agradeça se eles lhe dão algo, e desculpe-os se eles não o fazem e nunca insista numa questão se eles se recusarem a dar-lhe algo”. [Al-Mahmoud, How to be kind to your Parents, p.40]

Foi relatado por Talhah ibn Mu’awiyah as-Salami, que disse:

Eu fui ao Profeta e disse: “Ó Mensageiro de Allah, quero fazer Jihad no caminho de Allah. Ele perguntou, “A sua mãe está viva?”. Eu respondi “Sim”. O Profeta então disse “Apegue-se aos pés dela, porque o Paraíso está lá.” [at-Tabarani]

O sheikh Nidhaam Sakkijihaa comenta:

“Apegue-se a seus pés significa submeter-se a ela, estar perto dela, protegê-la, servi-la porque nisto está o Paraíso e com a satisfação dela você irá desfrutar das boas bênçãos de Allah”. [Sakkijihaa, Honoring the Parents, p. 52]

O Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele)  mostrou-nos a importância de servir os nossos pais na seguinte narração relatada por Abdullah Ibn Mas’ud:

Perguntei ao Profeta: “Ó Mensageiro de Allah, qual é a melhor ação?” Ele respondeu: “A oração oferecida na hora certa”. Perguntei: “O que está a seguir em bondade?”. Ele respondeu: “Ser obediente e gentil com os seus pais”. Perguntei ainda: “O que está a seguir em bondade?” Ele respondeu: “Jihad na causa de Allah”. [Sahih Al-Bukhari, Sahih Muslim]

Assim como o Profeta disse que a bondade para com os pais seria das melhores ações, ele também disse que a desobediência para com eles estaria entre os grandes pecados:

“Os maiores pecados são associar parceiros na adoração a Allah, ser desobediente ou indelicado com os pais, matar uma alma proibida por Allah (de ser morta) e dar falso testemunho”. [Sahih Al-Bukhari]

Mesmo depois do Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), os eruditos muçulmanos continuam a salientar a importância de se ser obediente à mãe. Ao examinar a conduta e ensinamentos dos primeiros estudiosos muçulmanos pode-se ver como os beneficiários directos da mensagem islâmica entendiam a ordem para se ser obediente aos pais. O seu comportamento em relação aos seus pais mostra aos muçulmanos como são aplicados os ensinamentos do Profeta em relação a honrar os pais.

Abdullah Ibn Abbas (d. 687CE), um companheiro do Profeta e um grande estudioso do Islam, considera o tipo de tratamento dado à mãe a melhor ação para o fortalecimento ou purificação da relação com Allah. Ele disse:

“Não conheço nenhuma outra ação que aproxima mais as pessoas a Allah do que o tratamento gentil e respeitoso para com a mãe”. [Al-Adab al-Mufrad Bukhârî 1/45]

Um exemplo ainda mais poderoso é encontrado na declaração de um outro companheiro do Profeta, Abdullah Ibn ‘Umar (d. 692CE), que também era um grande estudioso do Islam. Foi relatado que:

Abdullah Ibn ‘Umar viu um homem iemenita a fazer tawaf (circundar a Ka’bah) enquanto carregava a sua mãe às costas. Este homem disse a Abdullah Ibn ‘Umar, “Eu sou como um camelo manso para ela! Eu carreguei-a mais do que ela me carregou. Você acha que eu a paguei de volta, ó Ibn’ Umar?” Abdullah Ibn ‘Umar respondeu: “Não, nem mesmo uma contração!” [Al-Adab al-Mufrad, Bukhârî 1/62]

SubhanAllah (Glória a Allah)! Os esforços de um homem que carrega a mãe nas costas durante a execução do tawaf não consegue sequer pagar à sua mãe uma única contração que ela tenha tido por ele. Sábia foi a resposta de Ibn ‘Umar a este homem para lhe mostrar o quão em dívida ele estava para com a sua mãe. Este é o enorme valor e posição de prestígio das mães no Islam!

Outro exemplo encontra-se na seguinte profecia do Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele):

“Virá até vós com reforços do Iémen um homem chamado Uways ibn ‘Âmir do clã de Murad, da tribo de Qaran. Ele tinha lepra, mas foi curado, excepto num sítio do tamanho de uma moeda. Ele tem uma mãe e ele sempre a tratou com carinho e respeito. Se ele reza a Allah, Allah cumprirá o seu desejo. Se vós podeis pedir-lhe para rezar por perdão para vós, então fazei-o”. [Sahih Muslim 16/95]

De facto, mais tarde, ‘Umar ibn al-Khattab conheceu Uways que era exatamente como o Profeta descreveu e, a pedido de ‘Umar, Uways orou por ele. Comentando sobre esta narração, o sheikh Muhammad Ali Al-Hashimi escreve:

“Que alto estatuto Uways alcançou em virtude da sua bondade e respeito para com a sua mãe, de maneira que o Profeta recomendou os seus Sahabah [companheiros] para o procurarem e pedirem para ele orar por eles!Tudo isso indica o estatuto elevado para o qual o Islam elevou a posição da maternidade e deu à mãe precedência sobre o pai. Ao mesmo tempo, o Islam tem dado importância a ambos os pais e ordenou bondade e respeito a ambos”. (Al-Hashimi, The Ideal Muslimah, IIPH 2005, p. 167)

Tão grande era a ênfase islâmica sobre os pais, que os muçulmanos consideravam uma grande oportunidade de alcançar o Paraíso através do serviço à mãe. Iyas Ibn Mu’awiyah era um famoso estudioso islâmico a partir da segunda geração de muçulmanos. Quando a sua mãe morreu, Iyas Ibn Mu’awiyah chorou. Foi-lhe perguntado: “Porque chorais?” Ele disse: “Eu costumava ter duas portas abertas para o Paraíso, agora uma delas está fechada”.

Zayn al-Abidin (d. 713CE) era o bisneto do Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) e também um renomado estudioso. Ele costumava tratar a sua mãe com muita bondade e amor, como visto na seguinte narração:

Uma vez foi-lhe perguntado: “Você é a pessoa mais gentil com a sua mãe, mas nunca o vi a comer com ela num único prato”. Ele respondeu: “Eu temo que a minha mão pegasse o que os olhos dela já teriam visto no prato e então eu estaria desobedecê-la”. [At-Tartushi, Birr al-Wâlidayn]

Noutras palavras, ele era tão cuidadoso ao não desobedecer à sua mãe que até evitaria comer do mesmo prato que ela; ele pensava que ela veria um bocado e pretenderia pegá-lo, mas antes que ela o fizésse ele poderia pegar inconscientemente o mesmo pedaço e comê-lo. Isto é o quão cuidadoso ele era ao obedecer à sua mãe, nos detalhes mais minuciosos.

Outro estudioso islâmico, Said Ibn Al-Musayyib (d. 709CE), foi questionado sobre o significado do verso “…dirigi-lhes palavras honrosas” [17:23] (em relação ao tratamento dos pais). Sa’id Ibn Al-Musayyib respondeu:

“Isso significa que deve tratá-los como um servo trata o seu mestre.”

Muhammad Ibn Sirin (d. 729CE) costumava falar com a sua mãe numa voz muito suave, por respeito a ela. Ele também era visto frequentemente acompanhado pela sua mãe e cuidando dela. (Ibn al-Jawzi, Birr al-Wâlidayn)

Tudo o que o precedeu mostra como o estatuto das mães – e, consequentemente, das mulheres – é elevado à posição mais elevada no Islam. A honra que o Islam tem dado às mães está além daquela que é encontrada em qualquer outra religião, ideologia ou cultura. Esta é uma prova clara do elevado estatuto das mulheres muçulmanas.

Fonte: Islamswomen.com

O Islam e a Mulher