Dia Quinze: As Condições que não fazem com que os Anulantes Invalidem o Jejum

Dia Quinze: As Condições que não fazem com que os Anulantes Invalidem o Jejum

Meus irmãos, os anulantes dos quais falamos no décimo quarto majlis, com a exceção da menstruação, não invalidam o jejum sobre três condições:


1. Se a pessoa for ignorante [das situações que anulam o jejum] , então o seu jejum não é inválido. Isto por causa do seguinte versículo do Alcorão,

“E dizem: “Senhor nosso! Não nos culpes, se esquecemos ou erramos.” [Alcorão 2:286]

Allah disse, referindo-se a este versículo, “Assim fiz.” (Muslim)

Assim como também afirmou no versículo que se segue,  

“E não há culpa, sobre vós, em errardes, nisso, mas no que vossos corações intentam. E Allah é Perdoador, Misericordiador.” [Alcorão 33:5]

Independentemente se a pessoa for ignorante da Shari’ah, pensando que esta ação não invalida o jejum. Ou se for ignorante da situação ou do tempo.

Como exemplo, a pessoa pensar que o momento do Fajr ainda não tenha chegado, e portanto continuar a comer, ou a pessoa pensar que o sol já se pôs, e assim começar a comer. Todas estas situações não invalidam o jejum. 

Conforme relatado no Sahihein, ‘Adi ibn Hatim (radhiAllahu ‘anhu) narrou que quando o versículo,

“…até que se torne evidente, para vós, o fio branco do fio negro da aurora.” [Alcorão 2:187]

foi revelado, ele disse , “Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), deveras eu mantenho por debaixo da minha almofada duas cordas [fios] , uma branca e outra preta, pelas quais distingo a noite da aurora.” Após ouvir isso, o Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse, “A tua almofada parece ser muito ampla! Porque a palavra ‘khait’ (fio, linha) implica a escuridão da noite e a claridade da aurora!”

Adi alimentou-se depois do tempo do Fajr ter entrado, e o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) não o ordenou compensar pelo jejum.

Também, foi relatado na autoridade de Asma’a bint Abi Bakr (que Allah esteja satisfeito com ela) que ela disse, “Durante o tempo do Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), quebramos o nosso jejum enquanto estava nublado, depois o sol tornou-se visível para nós, e não me recordo de o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) ter-nos ordenado a compensar por aquele dia.” (Bukhari)

Similarmente, se quebrar o jejum após o tempo do Fajr ter-se aproximado, e pensar que ainda não é Fajr,então depois descobre que de fato o tempo de Fajr já havia começado, o seu jejum continua válido. Não tem de compensar o jejum, já que era ignorante do tempo. Assim que o indivíduo descobre que não devia estar a comer, então deve imediatamente parar de comer e limpar a boca. 

 2 .Se a pessoa se esquece e come

Neste caso, ela também não tem de compensar o dia de jejum. O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse, “Aquele que come e bebe enquanto está em jejum devido ao esquecimento, então deve continuar a jejuar, pois de fato foi Allah Quem o alimentou e o deu de beber.” (mutaffac alaihi)

Logo que se apercebe que deveria estar a jejuar, deve parar de comer e remover qualquer alimento que ainda tenha na boca. 

É obrigatório sobre a pessoa que observa  um indivíduo em jejum alimentar-se, lembrá-lo, como Allah diz no Alcorão,

“…auxiliai-vos na virtude e na piedade.” [Alcorão 5:2]

3. Se a Pessoa for Forçada a Comer

O seu jejum continua a ser válido, e não é responsável compensar o dia. Allah (louvado seja) diz,

“Quem renega a Allah, após haver crido, será abominoso, exceto quem for compelido a isto, enquanto seu coração estiver firme na Fé. Mas quem dilata o peito para a renegação da Fé, sobre eles será uma ira de Allah, e terão formidável castigo.” [Alcorão 16:106]

Portanto, se Allah perdoa a regra do kufr sobre aquele que é forçado, então a regra de outros assuntos deve também ser o mesmo. Assim como o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse, “Certamente, Allah perdoa à minha Ummah, erros, esquecimento e compulsão.” (Ibn Majah, Bahaqi)

O jejum não é anulado pelo kohl, ou medicamento para os olhos, ainda que o indivíduo consiga sentir o seu sabor na garganta, porque estes não são concebidos como comida ou bebida. Do mesmo modo, medicamento para as orelhas e nas feridas não invalidam o jejum.

Se provar comida e não a engolir, ou se a cheirar, o jejum ainda assim continua válido.

O aroma do incenso tampouco quebrará o jejum, porém não se deve exagerar na inalação do fumo.

O uso do miswak também não quebra o jejum. De fato, é recomendado usá-lo, especialmente no início e no fim do dia. É também permitido refrescar-se com água enquanto jejua. É narrado que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) costumava derramar água sobre a cabeça enquanto jejuava, devido à sede ou ao calor. Ibn Umar (radhiAllahu ‘anhu) ensopou as suas roupas e de seguida usou-as enquanto jejuava. 

Continua amanhã…

Siyam e Ramadan