Dia Nove: A Sabedoria do Jejum

Dia Nove: A Sabedoria do Jejum

O Shaikh aborda de forma extensa as ações obrigatórias e de como o jejum é uma ação obrigatória.

Um dos efeitos do jejum é que faz com que a pessoa ganhe Taqwah (piedade). Conforme Allah (louvado seja) afirma, “Ó vós que credes! É-vos prescrito o jejum, como foi prescrito aos que foram antes de vós, para serdes piedosos.” (2:183)


O jejum tem tudo a ver com o agir sobre a obediência e abster-se da desobediência. Assim como disse o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), “Quem quer que não se abstenha de falso discurso e falsa conduta, Allah não necessita da sua abstenção de comida e bebida.” (Bukhari)

A pessoa em jejum não deve praguejar de volta se for praguejada, como o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse, que ela deve dizer “Eu estou a jejuar.” Esta é uma advertência à pessoa que pragueja, assim como uma advertência à pessoa que jejua.

Das regras do jejum é que o coração deve estar ocupado com a lembrança de Allah. Uma vez que a pessoa passe tempo com os seus desejos, isso lhe levará a negligência. Para isso, o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) aconselhou-nos a não comer excessivamente. Assim como ele (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse, “O filho de Adão não enche um recipiente pior que o estomâgo, ele deve comer apenas o suficiente para que mantenha as suas costas direitas, mas se deve comer mais que isso então que deixe um terço para a comida, um terço para a bebida, e um terço para o ar.” (Ahmad, Nassa’i, Ibn Majah)

Das sabedorias do jejum é que a pessoa afortunada saberá a quantidade das bençãos com que Allah (louvado seja) o agraciou, da comida, bebidas, e relações com o/a esposo/a. Muitos não são afortunados o suficiente para terem essas bençãos, portanto agradecerão a Allah (louvado seja) por elas. Isto também os fará lembrarem-se dos seus irmãos que são menos afortunados que eles, que em muitos dos casos dormem com frio e fome, enquanto que eles por sua vez dormem com roupas e comida. É por isso que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) era o mais generoso [dentre as pessoas] e mais ainda durante o mês de Ramadan, quando Jibril ia ter com ele para lhe ensinar o Alcorão.

Das sabedorias do jejum é de que é um treino para controlar a alma, e o poder para parar a si mesmo. Por certo, a pessoa é inclinada para o mal, exceto para aqueles a quem Allah mostra misericóridia. Também debilita a pessoa e fá-la ser mais humilde. Dar-lhe-á humildade para com o  Criador, e bondade para com a criação.

Das sabedorias do jejum é que o sangue torna-se menos fluente e mais constrito quando a pessoa está faminta e com sede. Isso também fará com que o fluxo do Shaitan seja menos, já que, o Shaitan certamente flui através da corrente sanguínea do filho de Adão, conforme é relatado pelo Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) no Sahihein. Assim, diminuirá os sussurros do Shaitan, e diminuirá os episódios de desejo e ira, tal como o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) afirmou, “Ó jovens! Quem de entre vós for capaz de se casar, então que o faça; porque restringe o olhar e protege as partes privadas. Porém quem for incapaz, então que jejue, porque será um escudo para ele.” (Mutaffac alaihi) Portanto, o jejum é uma proteção e uma supressão dos desejos.

Continua amanhã…

Siyam e Ramadan