Tawhid: Monoteísmo Puro

Tawhid: Monoteísmo Puro

Parte 3 de 3: Esclarecendo um Equívoco

Shaykhul-Islam Ibn Taymiyyah– rahimahullah – (m. 728H) disse:

“O Tawhid com o qual os Mensageiros foram enviados compõe-se da afirmação que a Divindade e Adoração pertencem a Allah, sozinho, de modo que a pessoa testemunha que ninguém tem o direito de ser adorado exceto Allah e que ninguém, exceto Ele, é adorado, nem depende de outro além Dele, e que nem alianças ou inimigos são feitos exceto por Ele, bem como nem uma ação é feita a não ser por Ele. Esta afirmação também abrange aqueles Nomes e Atributos que Allah declara de Si mesmo, conforme Ele – O Altíssimo – diz:

“E vosso Deus é Deus Único. Não existe deus senão Ele, O Misericordioso, O Misericordiador.” [Surah al-Baqara (2):163]

[38]

E Allah – O Altíssimo – diz:

“E Allah disse: ‘Não tomeis, em adoração, a dois deuses. Apenas Ele é Deus Único, e a Mim, então, venerai-Me.'” [Surah an-Nahl (16):51]

[39]

E Ele – O Altíssimo – diz:

“E quem invoca, com Allah, outro deus, do qual não tem provança alguma, seu ajuste de contas será, apenas, junto de seu Senhor. Por certo, os renegadores da Fé não serão bem-aventurados.” [Surah al-Mu’minnun (23):117]

[40]

Allah – O Altíssimo – também diz:

“E pergunta aos que, de Nossos Mensageiros, enviamos, antes de ti: ‘Se Nós fizemos, além dO Misericordioso, deuses, para serem adorados?’” [Surah az-Zukhruf (43):45]

[41]

E Allah nos informou sobre cada Profeta dentre os Profetas que chamaram as pessoas a adorá-Lo sozinho, sem parceiros, a saber:

“Com efeito, há para vós belo paradigma em Abraão, e nos que estavam com ele, quando disseram a seu povo: ‘Por certo, estamos em rompimento convosco e com o que adorais, em vez de Allah; renegamos-vos, e a inimizade e a aversão mostrar-se-ão, para sempre, entre nós e vós, até que creiais em Allah, só nEle…’.” [Surah al-Mumtahina (60):4]

[42]

E Allah disse sobre os mushriks (pagãos idólatras):

“Por certo, quando se lhes dizia: ‘Não há deus senão Allah’, ensoberbeciam-se, E diziam: ‘Abandonaremos nossos deuses por um poeta louco?’” [Surah as-Saffat (37):35]

[43]

E isso ocorre bastante no Qur’an.

Tawhid não significa simplesmente Tawhid ar-Rububiyyah – a crença que Allah sozinho é o Criador – que é o que o povo do Kalam (teologia especulativa) e os Sufis pensam! Assim, eles pensam que se afirmarem este tipo de Tawhid, juntamente com suas provas, terão confirmado os limites máximos do Tawhid e que se eles o testemunharem e tornarem-se absortos nele, então terão se integrado nos seus limites! No entanto, este não é o caso. Uma vez que mesmo que a pessoa concorde com esses atributos, que são próprios ao Senhor, e O declare livre de tudo que Ele deve ser declarado livre e afirme que Ele, sozinho, é o Criador de tudo – ainda assim, tal pessoa não seria um muwahhid (uma pessoa de Tawhid) até que juntamente com isso, ele testemunhe que o único Ilah (ou seja, objeto de adoração) é Allah (Allah) – (isto é, ninguém tem o direito de ser adorado exceto Allah, sozinho) – afirmando que Ele sozinho é o Ilah merecedor de toda a adoração, aderindo a ela e não associando-Lhe nenhum parceiro. Afirmando ainda que esse Ilah (objeto de adoração) é Ele, que é deificado e adorado e que merece adoração e não meramente aquele Ilah, que tem o sentido de: “Aquele que tem o poder de criar e originar.” [44]

Assim, se um explicador (do Qur’an) explicar que Ilah significa: “Aquele que tem o poder de criar e de originar” e acreditar que esta é descrição mais específica do Ilah e confirmar ser este o limite do Tawhid – como fazem os do povo do Kalam, e isso é o que dizem de Abul-Hasan al-Ash’ari [45] e seus discípulos – então, isso significa que ele não sabe a verdadeira realidade do Tawhid com o qual Allah enviou Seus Mensageiros, pois os mushriks Árabes costumavam acreditar que Allah sozinho é o Criador de tudo. Contudo, apesar disso, ainda eram mushriks, como Allah – o Altíssimo – diz:

“E a maioria deles não crê em Allah senão enquanto idólatras.” [Surah Yusuf (12):106]

[46]

Um grupo dentre o Salaf (as três primeiras gerações de muçulmanos) disse:

“Se perguntares-lhes quem criou os Céus e a Terra, dirão: ‘Allah’– mas ainda assim, juntamente, adorariam outros além Dele.” [47]

Allah – O Altíssimo – diz:

“Dize, Muhammad: ‘De quem é a terra a quem nela existe, se sabeis?’ Dirão: ‘De Allah.’ Dize: ‘Então, não meditais?’ Dize: ‘Quem é O Senhor dos sete céus e O senhor do magnífico Trono?’ Dirão: ‘Allah:’ Dize: ‘Então, não temeis a Allah?’” [Surah al-Mu’minun (23):84]

[48]

Então, nem sempre todos que afirmam que Allah é o Senhor de tudo e é seu Criador, serão adoradores apenas Dele, excluindo tudo o resto– chamando para Ele sozinho, esperando Nele, temendo apenas a Ele, fazendo aliança e inimizade por Ele, obedecendo Seus Mensageiros, ordenando o que Ele ordena e proibindo o que Ele proibiu.”[49]

Conclusão

Shaykh ’Abdul-Qadir al-Jilani – rahimahullah – (m.561H) disse:

“Então é sobre vós temer a Allah – O Poderoso e Majestoso – e não temer a ninguém exceto Ele. Recorrei a Ele – O Poderoso e Majestoso – para todas as vossas necessidades e confiai Nele sozinho – O Altíssimo – buscando Dele, sozinho, aquilo que necessitais. Não confieis em ninguém além Dele. E Tawhid – tudo está contido no Tawhid.” [50]

Referências

[1] Sharhul-’Aqidatul-Tahawiyyah (p.69).
[2] Fadl ’Ilmus-Salaf (p.47) do al-Hafidh Ibn Rajab (m.795H).
[3] Relatado por ad-Darimi (1/102) e Abu Nu’aym em al-Hilyah (7/280), com isnad Sahih. 
[4] Relatado por al-Bukhari (1/49) e Muslim (nº 16) de ’Abdullah ibn ’Umar –radiAllahu’anhu.
[5] Relatado por Muslim (nº20). 
[6] Relatado por Muslim (nº19).

[7] Lisan ul-‘Arab (3/450) de Ibn Mandhur e também fi al-Hujjah Bayanil-Mahajjah (1/305) de Abul-Qasim al-Asbahani.

[8] Ad-Dururus-Sunniyyah (1/48) de Shaykh ’Abdur-Rahman ibn Hasan.

[9] Jawharah at-Tawhid (p. 10).
[10] Sharh Kitabut-Tawhid min Sahihil-Bukhari (1/38).
[11] Lawami’ al-Anwarul-Bahiyyah (1/128) de as-Safarini. Para a divisão do Tawhid em três partes, consulte: al-Ibanah ’an Shari’atil-Firqatin-Najiyah (p. 693-694) de Ibn Battah (m.387H); Kitab ut-Tawhid de Ibn Mandah (m.395H) e al-Hujjah fî Bayanil-Mahajjah (1/85, 1/111-113) de Abul-Qasim al-Asbahani (m.535H).

[12] Surah Maryam 19:65.
[13] Taqribut-Tadmuriyyah (p.110) do Shaykh Ibn al-’Uthaymin.
[14] Taqribut-Tadmuriyyah (p.110-111).
[15] Taqribut-Tadmuriyyah (p.112-113).
[16] Taqribut-Tadmuriyyah (p.116-117).
[17] Surah Al-’Imran 3:64
[18] Madarijus-Salikin (3/449-450) de Ibn al-Qayyim.
[19] Surah al-Fatiha 1:1 – e o que se segue é uma conclusão desta Surah.
[20] Sharhul-’Aqidatul-Tahawiyyah (pp. 89-90) de Ibn Abil-’Izz.
[21] Surah an-Nas 114:1

[22] Hukmul-Intima (p.58) do Shaykh Bakr Abu Zayd – ligeiramente adaptado.
[23] Relatado por Muslim (nº 1768) de ’Ubayy ibn Ka’b – radiAllahu’anhu.
[24] Consulte Majmu’ al-Fatawa (1/54) de Ibn Taymiyyah.
[25] Hasan: Relatado por at-Tahawi e Ibn Hibban. Al-Hafidh Ibn Hajar autenticou-lhe em Ahadithul-’Aliyat (nº 16).
[26] Sahih: Relatado por at-Tabarani em al-Mu’jamul-Kabir (3/203/2) de Ibn ’Umar – radiAllahu’anhu. Foi autenticado por al-Albani em Sahihul-Jami’ (nº 4405).
[27] Relatado por Muslim (nº726)
[28] Sahih: Relatado por an-Nasa’i e al-Hakim, que o declarou sahih.
[29] At-Tawhid wa Atharahu fî Hayatil-Muslim (p.30) de Ahmad ibn Ibrahim al-Hariqi.
[30] Madarijus-Salikin (3/450).

[31] Surah Sad 38:29.
[32] Relatado por Ahmad (4/63).
[33] Sahih: Relatado por Ahmad (nº 5114) e Ibn Asakir (19/96/1), de Ibn ’Umar – radiAllahu’anhu. Autenticado por al-Hafidh al-’Iraqi em Takhrijul-Ihya (3/42), e al-Hafidh Ibn Hajr em Fathul-Bari (10/222).
[34] At-Tawhid wa Atharahu fi Hayatil-Muslim (p.29).
[35] Relatado por al-Bukhari (1/13) e Muslim (1/272), de Ibn ’Abbas – radiAllahu ’anhu.

[36] Relatado por Bukhari (1/532) e Muslim (5/16).
[37] At-Tawhid wa Atharahu fi Hayatil-Muslim (p.29).
[38] Surah al-Baqara 2:163.
[39] Surah Nahl 16:51.
[40] Surah Mu’minun 23:117.
[41] Surah az-Zukhruf 43:45.
[42] Surah al-Mumtahinah 60:4.
[43] Surah Safat 37:35-36.

[44] Este é o dito do povo de Kalam, tais como Abu Mansur al-Maturidi em – at-Tawhid (pp.20-21) e para um equívoco semelhante consulte Fi DhilAlil-Qur’an (5/2707) de Sayyid Qutb. Compare este significado de IIah com as explicações corretas de grandes mufassirs – tais como Imam Ibn Jarir at-Tabari em seu Tafsir (20/102) e Ibn Kathir em seu Tafsir (3/398) – que é: aquele que é adorado e que merece ser adorado sozinho.

[45] Ele é Abul-Hasan ’Ali ibn Isma’il al-Ashari (m. 324H) – ao qual a ‘aqidah Ash’ariyyah é incorretamente atribuído, pois ele abandonou essa ’aqidah – e aquela do Mu’tazilah anteriormente – pela ’aqidah dos Salaf – como mencionado por Ibn Kathir em Tabaqatush-Shafi’iyyah e mostrado por seu último livro: Al-Ibanah ’an Usulid-Diyanah.

[46] Surah Yusuf 12:106

[47] Este é o dito de lbn ’Abbas e outros– como ocorre em  Jami’ul-Bayan ’an Ta’wilul-Qur‘an (13/50-51) de at-Tabari.

[48] Surah Muminun 23:84-87.

[49] Majmu’ul-Fatawa (3/97-105) de Ibn Taymiyyah.

[50] Futuhul-Ghayb (p.176).

Fonte: Abdurrahman.Org

Tawhid