Tawhid: Monoteísmo Puro

Tawhid: Monoteísmo Puro

Parte 2 de 3: As Divisões do Tawhid

E o Tawhid – com os Salaf e os Eruditos dos Ahlus-Sunnah wal-Jama’ah – tem três divisões.

‘Allamah as-Safarini (m.1112H) – rahimahullah – disse:

“Saiba que o Tawhid tem três divisões:

1. Tawhid ar-Rububiyyah (a Unicidade de Allah em Seu Senhorio);

2. Tawhid al-Uluhiyyah (escolher Allah sozinho para adoração);

3. Tawhid al-Asma was-Sifat (a exclusividade dos Nomes e Atributos de Allah). [11]

“E Allah – O Altíssimo – reuniu estas três divisões em Suas Palavras:

“É O Senhor dos céus e da terra e do que há entre ambos. Então, adora-O e pacienta, em Sua adoração. Acaso, conheces-Lhe algum homônimo?” [Surah Maryam (19):65]

[12] [13]

“Então, Tawhid ar-Rububiyyah implica: uma crença firme e definitiva, de que só Allah é o Criador, o Mestre e o Dono, e o Comando é para ninguém mais para além Dele.” [14]

“E Tawhid al-Uluhiyyah é singularizar Allah sozinho para toda adoração e não adorar nada junto com Ele, seja um anjo, um Mensageiro, um Profeta, uma pessoa piedosa, uma árvore, pedra, Sol, lua, ou qualquer outra coisa.” [15]

“E Tawhid al-Asma was-Sifat é a Unicidade de Allah – O Altíssimo – com relação aos Seus Nomes e Atributos, afirmando o que Allah por Si mesmo declarou – seja em Seu Livro ou através da língua de Seu Mensageiro (sallAllahu ’alayhi wa sallam) – sem tahrif (distorcer os Nomes e Atributos de Allah), ta’til (negação dos Nomes e Atributos de Allah), takyif (dizer como eles são) ou tamthil (fazer qualquer semelhança com a criação).” [16]

Tawhid no Conhecimento e Ações

As três divisões supramencionadas do Tawhid foram agrupadas – por alguns dos Eruditos – em dois tipos:

O primeiro tipo lida com conhecer Allah através de Seus Nomes, Atributos e Ações (ou seja, Tawhid al-Asma was-Sifat e Tawhid ar-Rububiyyah);

O segundo tipo lida com a pática e a manifestação desse Tawhid através da singularização de Allah sozinho na adoração (ou seja, Tawhid al-Uluhiyyah). O primeiro tipo de Tawhid está ligado ao conhecimento, enquanto o segundo à ação.

Ibn al-Qayyim (m.756H) – rahimahullah – disse:

“No que tange ao Tawhid pelo qual os Mensageiros chamaram e pelo qual os Livros foram revelados, eles são de dois tipos: Tawhd al-Ma’rifah wal-Ithbat (o Tawhid do conhecimento e afirmação) e o Tawhid fit-Talab wal-Qasd (o Tawhid das ações e das intenções).

Assim, o primeiro tipo afirma a realidade da Dhat (essência) do Senhor – O Altíssimo – juntamente com os Seus Nomes, Atributos, Ações, Seu Discurso em Seus livros e a quem quer que Ele queira de Seus servos. Também afirma a natureza abrangente de Sua Predestinação, (pré) Decreto e Sua sabedoria. O Qur’an esclareceu completamente este tipo de Tawhid – como ocorre no início da Surah Hadid e Surah Ta-Ha, no fim da Surah al-Hashr, no início da Surah as-Sajda, no início da Surah Al-’Imran e toda a Surah al-Ikhlas e outras para além destas.

O segundo tipo: é o que está contido na Surah al-Kafirun e contido em Suas – as do Altíssimo – palavras:

“Dize: ‘Ó seguidores do Livro! Vinde a uma palavra igual entre nós e vós: não adoremos senão a Allah, e nada Lhe associemos e não tomemos uns aos outros por senhores, além de Allah.’ E, se voltarem as costas, dizei: ‘Testemunhai que somos moslimes.'” [Surah al-i-Imran (3):64]

[17]

Também está presente no início da Surah Tanzil e no início, meio e fim da Surah al-Mu’minun, no início e no final da Surah al-A’raf e a maior parte da Surah al-An’am. Na verdade todas as Surahs no Qur’an compreendem estes dois tipos de Tawhid, testemunhando-lhe e convocando para ele.

Já que o Qur’an ora [i] fornece informações sobre Allah, Seus Nomes, Seus Atributos, Suas Ações e Seus dizeres – que é o Tawhid al-Ma’rifah wal-Ithbat (o Tawhid do conhecimento e da afirmação); ora [ii] é um chamado para adorar a Allah sozinho, sem qualquer parceiro e é uma rejeição de tudo o que é adorado além Dele – e isso é Tawhid al-Iradi at-Talabi (o Tawhid das ações e intenções); ora [iii] é um comando para Lhe obedecer e cumprir as Suas ordens e proibições – portanto isso é dos direitos de Tawhid e é a sua conclusão; ou [iv] dá informações sobre o povo do Tawhid e como eles foram tratados neste mundo e como serão honrados na outra vida – e esta é a recompensa pelo Tawhid; ou [v] dá informação sobre o povo do Shirk (aqueles que associam parcerios a Allah) e a punição que recebem nesta vida e o tormento que receberão na outra – assim, esta é a recompensa para aqueles que abandonam o Tawhid.” [18]

Tawhid – Sua Importância no Qur’an

Ibn Abil-’Izz – rahimahullah – disse:

“O Qur’an – todo ele – é sobre o Tawhid, seus direitos e suas recompensas; e sobre Shirk, seu povo e a suas punições. Assim, “Louvor a Allah, O Senhor dos mundos”[19] é Tawhid (de conhecimento). “O Misericordioso, O Misericordiador” é Tawhid (de conhecimento). “O Soberano do Dia do Juízo!” também é Tawhid (de conhecimento). “Só a Ti adoramos e só de Ti imploramos ajuda” é Tawhid (de ação). “Guia-nos à senda reta” refere-se ao Tawhid e ao pedido de orientação para o caminho do povo do Tawhid, (que é): “À senda dos que agraciaste; não à dos incursos em Tua ira nem à dos descaminhados”, aqueles que se separaram do Tawhid.”[20] Assim, Allah inicia esta Surah primeiro informando-nos sobre Si mesmo – O Perfeitíssimo (ou seja, Tawhid de conhecimento). Depois de ter conhecimento de Allah – O Altíssimo – Ele nos ordena com o Tawhid de ação: “Só a Ti adoramos…”

Da mesma forma, assim como: “o nobre Qur’an começa com o Tawhid, também termina com ele. Assim, começa com a Surah al-Fatiha: “Louvor a Allah, O Senhor dos mundos” e termina com a Surah: “Dize: ‘Refugio-me nO Senhor dos homens…’” [Surah an-Nas (114):1] [21] [22]

Outrossim, a maior ayah no Qur’an é a Ayatul-Kursi[23], pois esta extraordinária ayah nos informa – do início ao fim – inteiramente sobre os Nomes de Allah, Seus Atributos e Suas Ações. Assim, isso enfatiza mais a importância do Tawhid de conhecimento.

Da mesma forma, a Surah al-Ikhlas – do início ao fim – está relacionada ao Tawhid de conhecimento, enquanto que a Surah al-Kafirun está conectada com o Tawhid de ação. De fato, o Profeta Muhammad (sallAllahu ‘alayhi wa salaam) disse sobre um homem que a recitava no primeiro rak’ah“Este é um servo que acredita em seu Senhor.” De seguida, o homem recitou a Surah al-Ikhlas no segundo, ao que ele, sallAllahu ‘alayhi wa salaam, disse: “Este é um servo que conhece seu Senhor.”[25] O Profeta (sallAllahu ‘alayhi wa salaam) disse: “ Dize: Ele é Allah, O Único” [referindo-se à Surah al-Ikhlas (112] é equivalente a um terço do Qur’an. E “Dize: “Ó renegadores da Fé!” [referindo-se à Surah al-Kafirun (109)] é equivalente a um quarto do Qur’an.” [26]

O que mais demonstra a importância deste Tawhid é o fato de que o Profeta (sallAllahu ‘alayhi wa salaam“começaria o seu dia com Tawhid (de conhecimento e ação), pois ele recitaria tanto a Surah al-Kafirun como a Surah al-Ikhlas nos dois rak’at antes do Fajr (oração da Alvorada). [27] E ele terminaria a noite recitando estas duas Surahs em sua oração witr.” [28] [29]

“Verdadeiramente, tudo do Qur’an é sobre Tawhid.” [30] E Allah – O Poderoso e Majestoso – diz:

“Este é um Livro bendito, que fizemos descer, para ti, a fim de que eles ponderem seus versículos e a fim de que os dotados de discernimento meditem. ” [Surah Sad (38):29]

[31]

Tawhid – Sua importância da Sunnah

E o que prova a importância do Tawhid a partir da Sunnah é que o Escolhido – ‘alayhis-sallatu was salam – permaneceu em Makka treze anos entre os incrédulos, chamando-os para o Tawhid, e dizendo-lhes: “Diga: Ninguém tem o direito de ser adorado exceto Allah e assim, tenha sucesso…”[32]

O Mensageiro de Allah, sallAllahu ’alayhi wa sallam, disse: “ Fui enviado próximo da Hora, com a espada, para que ninguém tenha o direito de ser adorado, a não ser Allah, sozinho, sem nenhum parceiro. Meu sustento está sob a sombra da minha lança. E a humilhação e a ignomínia são para quem quer que se oponha ao meu comando. E quem quer que imite um povo pertence a ele.” [33] [34]

Da mesma forma, ele enviaria seus Companheiros para várias comunidades, ordenando-lhes com este Tawhid primeiro – como foi o caso quando mandou Mu’adh ibn Jabal ao Iémen, dizendo: “de fato vais a um povo, do Povo do Livro, então deixe que o Tawhid de Allah seja a primeira coisa para a qual irás chamá-los…”[35]

E assim como o Profeta, sallAllahu ‘ alayhi wa sallam, começou sua missão profética e ensino com a questão do Tawhid, então da mesma forma, ele sallAllahu ‘ alayhi wa sallam, também a mencionou  durante a sua doença terminal, da qual veio a falecer, quando disse: “a maldição de Allah esteja com os judeus e os cristãos, pois eles tomaram os túmulos de seus Profetas como lugares de adoração.” [36]” [37]

Continua:

Tawhid