Resposta de Ibn Baz a questões escritas, colocadas por um Shaykh de fora do Reino da Arábia Saudita

De ‘Abdul-‘Aziz ibn ‘Abdullah ibn Baz ao meu estimado irmão, que Allah lhe guie ao conhecimento benéfico e à sua aplicação, amém. As-salamu ‘alaykum warahmatullah wabarakatuh (que a paz, a misericórdia e as bençãos de Allah estejam sobre si). Prosseguindo:

Recebi a sua carta, datada de 2/3/1394 A.H. (Ano de Hégira). Que Allah lhe guie e lhe conceda sucesso. Inclui três perguntas sobre Wahhabismo. O que se segue é a minha resposta.

P1: Perguntou sobre Wahhabismo e se é um quinto madh-hab (escola de Jurisprudência) ou se segue um dos quatro madh-habs.

 

R: O termo Wahhabismo é usado por muitas pessoas para se referir ao chamado iniciado por Imam Muhammad ibn ‘Abdul-Wahhab ibn Sulayman Al-Tamimy Al-Hanbaly (que Allah tenha misericórdia dele). Ele é chamado, juntamente com o seus seguidores, de ‘Wahhabis’. Toda a pessoa sensata deve ter ouvido falar sobre o movimento e a abordagem do Shaykh Muhammad ibn ‘Abdul-Wahhab (que Allah tenha misericódia dele). Ele chamou para o puro tawhid (crença na Unicidade de Allah) e advertiu contra todos os tipos de shirk (associar outros a Allah, na Sua divindade ou adoração), tais como suplicar aos mortos, às árvores, rochas, ou semelhantes. Em termos do credo, ele (que a misericórdia de Allah esteja com ele) seguiu o madh-hab dos Salaf (predecessores piedosos); enquanto que, em assuntos complementares, seguiu o madh-hab de Imam Ahmad ibn Hanbal Al-Shaybany (que Allah seja misericordioso com ele). Isto é evidente nos livros e fatwas (vereditos legais) de Muhammad ibn ‘Abdul-Wahhab e nos livros dos seus seguidores e descendência publicados.

Imam Muhammad ‘Abdul-Wahhab apareceu num tempo em que o Islam era alienado, a Península Arábica e outras áreas estavam mergulhadas na ignorância, e a adoração de ídolos era dispersa. O Shaykh encarregou-se de lutar e se esforçar, e dedicou-se em destruir todas as formas de desvio.

Ele utilizou todos os meios possíveis para difundir tawhid, livre de qualquer tipo de superstição. Allah, pela Sua Graça, fez Imam Muhammad ibn Su’ud, princípe de Al-Dir’iyyah naquele tempo, aceitar o chamado. Desse modo, o princípe, os seus filhos, aqueles sobre a sua autoridade, e os seus seguidores apoiaram o Imam (que Allah os recompense, os perdoe, e guie a sua descendência a fazer tudo o que Lhe agrada, e a fazer aquilo que retifique os assuntos dos Seus servos). Todas as regiões da Península Arábica têm vivido sobre este chamado virtuoso até aos dias atuais.

O chamado do Imam ibn ‘Abdul-Wahhab estava de acordo com o Qur’an e a Sunnah (tudo aquilo que é relatado do Profeta). Wahhabismo não é um quinto madh-hab, como alguns ignorantes e preconceituosos clamam; pelo contrário, é o chamado ao ‘Aqidah (credo) dos Salaf (predecessores virtuosos) e uma forma de reviver as características fundamentais do Islam e tawhid, as quais foram esquecidas na Península Arábica.

P2: Os Wahhabis rejeitam Shafa’ah (intercessão) pelo Mensageiro de Allah (sallAllahu ‘alayhi wa sallam)?

R: Toda a pessoa sensata, que tenha estudado a biografia do Imam Shaykh Muhammad ibn ‘Abdul-Wahhab e dos seus seguidores, sabe que são inocentes de tal alegação. O Imam (que Allah tenha misericórdia dele) escreveu sobre Shafa’ah, principalmente no "Kitab Al-Tawhid (Livro do Monoteísmo)" e refutou as suspeitas levantadas sobre a Shafa’ah do Mensageiro para a sua Ummah (nação baseada num credo) no Dia da Ressureição. Assim, torna-se evidente que o Shaykh (que Allah tenha misericórdia dele) e os seus seguidores não rejeitaram a Shafa’ah do Mensageiro (sallAllahu ‘alayhi wa sallam) e de outros profetas, anjos, crentes e crianças que morreram antes da puberdade. Antes, eles confirmaram-na conforme Allah e o Seu Mensageiro a confirmaram, seguindo o caminho dos Salaf em aplicar evidência do Qur’an e da Sunnah.

Baseado nisto, torna-se manifesto de que alegar que o Shaykh e os seus seguidores negaram a Shafa’ah do Profeta (sallAllahu ‘alayhi wa sallam), é completamente infundado. Afasta as pessoas do caminho de Allah e envolve propagar mentiras contra os du’ah (chamadores) para Allah. O Shaykh (que Allah tenha misericórdia dele) e os seus seguidores apenas rejeitaram buscar Shafa’ah dos mortos e outros semelhantes. A Shafa’ah pode apenas ser concedida ao intercessor com a permissão de Allah e a Sua aceitação do indivíduo por quem se é intercedido. Allah (Glorificado e Exaltado seja) diz:

“Quem intercederá junto d’Ele senão com Sua permissão?” (Surah Al-Baqara 2: 255)

 quantos anjos há, nos céus, cuja intercessão de nada valerá, senão após Allah permiti-la a quem quiser e a quem Lhe agradar!” (Surah Al-Najm 53: 26)

“E eles não intercedem senão por quem Lhe agrada. E, do receio d’Ele, estão amedrontados.” (Surah Al-Anbiya’ 21: 28)

Allah (Glorificado seja) não aceita nada para além de tawhid; portanto, os mushriks (aqueles que associam parceiros a Allah na Sua divindade ou adoração) não se beneficiarão de Shafa’ah. Allah (Exaltado seja) diz:

“Então, não os beneficiará a intercessão dos intercessores.” (Surah Al-Muddathir 74: 48)

Allah (Glorificado e Exaltado seja) também diz:

“Não haverá para os injustos íntimo algum nem intercessor a quem se obedecerá.” (Surah Ghafir 40: 18)

Rogamos a Allah que nos oriente a tudo o que Lhe agrada e que nos conceda segurança de tudo o que Lhe desagrada. Allah é o Dador de sucesso.

Fonte: Alifta.Com