Perspectiva Islâmica sobre o Controle do Estresse

Perspectiva Islâmica sobre o Controle do Estresse

Embora o estresse possa ser necessário para a sobrevivência humana, o excesso certamente afeta nossa saúde e produtividade. Alega-se que no Brasil cerca de 70% da população sofre de estresse, sendo um dos países mais afetados mundialmente. Perda de produtividade e doenças relacionadas ao estresse, direta ou indiretamente, são muito comuns na nossa sociedade. Os muçulmanos não ficam fora disso, porque além de todos os problemas que toda a sociedade enfrenta, temos também a questão, não menos importante, de fazermos parte de um grupo minoritário que sofre com estereótipos relacionados ao Islam. Não é incomum mulheres muçulmanas perderem oportunidades no mercado de trabalho por questões de vestimenta, ou muçulmanos em geral sofrerem islamofobia e tantas outras coisas que nos tornam tão vulneráveis quanto qualquer outro grupo minoritário.

Há evidências médicas suficientes para vincular o estresse à causa de úlcera péptica, hipertensão, doença arterial coronariana e depressão. Além disso, muitos problemas comuns, como cefaleia tensional, insônia, impotência (masculina), frigidez (feminina), estão relacionados ao estresse também as causas de diabetes, supressão do sistema imunológico e desenvolvimento de câncer.

Em nosso dia a dia, o estresse afeta a paz em casa, o desempenho no trabalho, os resultados nos estudos e até mesmo nosso comportamento alimentar, social e íntimo (com nossos parceiros).

Sinais de alerta de estresse

Os primeiros sinais de estresse são irritabilidade, alterações de humor, dificuldade para dormir, falta de concentração, desconforto abdominal, extrema sensibilidade a críticas, ganho ou perda de peso, medo do fracasso, falta de apetite ou fome e aumento da dependência de tranquilizantes ou drogas para dormir.

Condições que causam estresse

Os psiquiatras identificaram cerca de 50 estressores. Na verdade, qualquer mudança, boa ou ruim, é estressante. Uma mudança no trabalho, na escola, de residência, situação financeira, perda ou ganho de um membro da família ou amigo próximo, lesão ou doença, calamidade ou notícias de tumulto ou violência podem ser extremamente estressantes. Muçulmanos que vivem em uma sociedade não muçulmana podem adquirir algum estresse adicional. Estes podem incluir fatores como preservar sua identidade, praticar o Islam (ou seja, em questões alimentares, horários de oração), defender o Islam diante de uma mídia hostil e resolver conflitos entre membros da família.

Quem é propenso ao estresse

Embora o estresse não poupe ninguém, incluindo crianças, certas profissões recebem mais do que outras. Isto inclui o vendedor, corretor da bolsa, secretário, professor da escola, controlador de tráfego aéreo, residente ou médico, policial, agentes de departamentos de reclamações, etc. É interessante notar que qualidades como ambição, compulsão, alto desempenho, orientação para alta produtividade são vistas como sinais de eficiência pelo empregador, porém, também são traços de personalidade muito perigosos para a nossa saúde. Então, a arte é ter essas qualidades, com uma personalidade adequada para viver feliz e ter mais tempo.

Lidando com o Estresse

Embora todos estejamos expostos ao estresse, por que alguns de nós conseguem lidar melhor com ele? É a maneira como lidamos com o estressor ou a maneira como somos formados? Há algumas evidências que sugerem que alguns de nós podem ser geneticamente predispostos à depressão, ou ter deficiência a nível de neurotransmissores, hormônios reguladores do humor, ou simplesmente não produzir adrenalina suficiente sob demanda.

A crença religiosa de uma pessoa tem uma influência importante sobre sua personalidade e sua perspectiva de vida. Ao colocar a confiança em Allah, um crente minimiza o estresse sobre si, reduzindo sua responsabilidade e poder para controlar seus fracassos.

Maneiras comprovadas de lidar com o estresse variam entre: meditação, sono regulado, exercícios físicos, socialização, psicoterapia, terapias ocupacionais e tranquilizantes. Neste artigo vamos discutir como lidar com o estresse à luz do Alcorão e da Sunnah.

Fatores de estresse

Psicologicamente, o estresse resulta dos seguintes fatores.

  1. Medo do desconhecido e nossa incapacidade de reconhecê-lo, antevê-lo e controlá-lo.
  2. Perda de coisas e pessoas queridas em nossa vida, e nossa incapacidade de aceitar e nos recompor diante dessas perdas.
  3. Nossa incapacidade de prever o futuro. Na verdade, podemos ficar ainda mais estressados ​​se virmos o futuro.
  4. Conflitos entre a mente e a realidade e nossa falha em aceitar a realidade (ou seja, a fase de negação). É a falta de paz interior devido aos nossos conflitos internos que leva às perturbações externas em nosso comportamento e afeta nossa saúde.

Reflexão do Alcorão sobre fatores de estresse

Vamos examinar como o Alcorão lida com tais situações. Nossas perdas são parte do nosso julgamento:

“E, em verdade, pomo-vos à prova, com algo do medo e da fome e da escassez de riquezas e de pessoas e de frutos. E alvissara o Paraíso aos perseverantes. Àqueles que, quando uma desgraça os alcança, dizem: ‘Por certo, somos de Allah e, por certo, a Ele retornaremos.’” (Alcorão 2:155,156)

Tudo o que nos é dado é um presente de Allah. Não somos donos de absolutamente nada. Tudo pertence a Allah e a Ele retorna. Então, se não possuímos essas coisas, por que lamentar sua perda ou ficar orgulhoso ao recebê-las?

Só Allah sabe qual é o nosso destino final. Não podemos espiar nosso futuro. No entanto, temos um livre arbítrio limitado; somos livres para escolher entre o bem ou o mal, acreditar ou não em Allah, mas não temos controle sobre o futuro não relacionado à nossa capacidade de agir no presente – se terei um filho ou filha, se os olhos dele serão castanhos ou pretos, ou se vou ter um acidente amanhã. Preocupar-se com essas coisas é inútil.

A rejeição da fé no Alcorão é descrita como uma doença, sendo sua causa a arrogância e a relutância em aceitar a verdade.

“Em seus corações, há enfermidade; então, Allah acrescentou-lhes enfermidade. E terão doloroso castigo, porque mentiam.” (Alcorão 2:10)

Assim, quando um homem mente para si mesmo, ele cria um conflito interno – entre seu coração e sua mente. Para conter esse conflito, a mente envia sinais às glândulas para a secreção de hormônios como a adrenalina, que leva a batimentos cardíacos acelerados, transpiração, tremores: a base de um detector de mentiras.

Este conflito pode ser devido a “pequenos” crimes como roubo ou adultério, ou grandes crimes como a rejeição de Allah.

Três Estágios do Desenvolvimento Espiritual da Idade da Alma

A alma apaixonada

Nafsul Ammara:

“E não absolvo minha alma do pecado. Por certo, a alma é constante incitadora do mal, exceto a de quem meu Senhor tem misericórdia. Por certo, meu Senhor é Perdoador, Misericordiador.” (Alcorão 12:53)

Esta alma se inclina para o prazer sensual, paixão e autogratificação, raiva, calúnia, inveja, ciúmes, ganância e vaidade. Suas preocupações são os prazeres do corpo, a gratificação do apetite físico e o ego. Se esse ego – essa alma maligna – não for controlado, isso levará a um estresse incomum e seus efeitos maléficos resultantes.

A alma reprovadora

Nafsul Lawammah:

Esta alma está plenamente consciente do mal, resiste-lhe, pede a graça e o perdão de Allah, arrepende-se e tenta se emendar, com a esperança de alcançar a salvação.

“E juro pela alma, constante censora de si mesma…” (Alcorão 75:2)

“E outros reconheceram seus delitos; mesclaram uma boa obra com uma outra má. Quiçá, Allah Se volte para eles, remindo-os. Por certo, Allah é Perdoador, Misericordiador.” (Alcorão 9:102)

“Existem dois impulsos dentro de nós. Um, o espírito, que chama para o bem e confirma a verdade. Aquele que sente esse impulso deve saber que vem de Allah. Outro impulso vem de nosso inimigo (o Shaitan), que leva à dúvida e à mentira, e encoraja o mal. Aquele que sente isso deve buscar refúgio em Allah contra o maldito demônio.” (Hadith).

Esta alma adverte as pessoas de seu desejo vão, guia e abre a porta para a virtude e a retidão. É um passo positivo no crescimento espiritual.

A alma satisfeita

Nafsul Mutma’innah:

“Dir-se-á: “Ó alma tranquila! Retorna a teu Senhor, agradada e agradável; então, entra para junto de Meus servos, e entra em Meu Paraíso.” (Alcorão 89:27-30)

Este é o estado mais elevado de desenvolvimento espiritual. Uma alma satisfeita está no estado de bem-aventurança, contentamento e paz. A alma está em paz porque sabe que, apesar de seus fracassos neste mundo, ela retornará para Allah. Purificada da tensão, emerge triunfante da luta e reside em paz e bem-aventurança.

Como devemos agir durante momentos de pânico e desespero?

Em situações de pânico, os incrédulos se comportam de maneira diferente dos crentes. Eles não têm a quem recorrer, para pedir por misericórdia e perdão, eles não acreditam em nenhuma outra vida além desta vida mundana (duniyah), sobre a qual eles não têm controle. Naturalmente, eles ficam mais deprimidos, o que, por sua vez, os leva a fazer ainda mais coisas erradas. Se essas pessoas estavam acostumadas a beber casualmente, elas aumentarão seu consumo de álcool e acabarão como alcoólatras ou algo ainda pior.

Em um estado de depressão, um crente, por outro lado, é aconselhado a fazer o seguinte:

  • Aumentar o Dhikr (recordação de Allah)

“E os que renegam a Fé dizem: “Que se faça descer sobre ele um sinal de seu Senhor!” Dize: Por certo, Allah descaminha a quem quer e guia para Ele quem se volta para Ele, contrito, os que creem e cujos corações se tranquilizam com a lembrança de Allah – Ora, é com a lembrança de Allah que os corações se tranquilizam.” (Alcorão 13:27-28)

  • Ser constante em suas orações

“Ó vós que credes! Implorai ajuda, com a paciência e a oração. Por certo, Allah é com os perseverantes.” (Alcorão 2:153)

  • Rezar para Allah por perdão

“E disse: ‘Implorai perdão a vosso Senhor – por certo, Ele é Perdoador.” (Alcorão 71:10)

  • Melhorar a si mesmo

Além que já foi mencionado acima, espera-se que os crentes também que lutem constantemente para melhorar a si mesmos.

” Por certo, Allah não transmutará o que um povo tem, até que este haja transmutado o que há em si mesmo…” (Alcorão 13:11)

  • Aumentar a recitação do Alcorão

” Ó humanos! Com efeito, uma exortação de vosso Senhor chegou-vos e cura para o que há nos peitos e orientação e misericórdia para os crentes.” (Alcorão 10:57)

O eco do som tem um efeito médico e, nos dias de hoje, é amplamente conhecido e utilizado. A recitação do Alcorão ou ouvir o mesmo tem um efeito positivo na saúde do corpo, no coração e na mente. Diz-se que a letra ‘alif’ ecoa ao coração e último ‘ya’ ecoa na glândula pineal no cérebro. O Dr. Ahmed El Kadi, da Clínica Akbar, na Cidade do Panamá, Flórida, conduziu e publicou os efeitos de ouvir a recitação do Alcorão sobre os parâmetros fisiológicos, ou seja, a frequência cardíaca, a pressão arterial e a tensão muscular e relatou melhora em todos, independentemente se o ouvinte é muçulmano ou não, árabe ou não. Obviamente, pode-se postular que aqueles que podem compreender e apreciar a recitação, com uma crença nela como palavra de Allah, obterão o máximo benefício.

A oração do profeta Muhammad durante o estresse

Todos os profetas, que a paz esteja sobre todos eles, sendo seres humanos, tiveram que passar por testes e provações que resultaram em estresse temporário. Eles constantemente se lembravam de Allah e recebiam paz por meio de Sua lembrança. O Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), por exemplo, usou e aconselhou seus seguidores a usarem a seguinte D’ua (súplica) em tempos de angústia.

“Allah é suficiente para nós, e Ele é um excelente guardião, e depositamos nossa confiança em Allah.”

“Certamente pertencemos a Allah e a Ele retornaremos. Ó Allah, imploro-Te pela recompensa de minhas dificuldades. Recompense-me e compense-me por isso com algo bom.”

Fonte: Extraído do livro Perspectivas Islâmicas na Medicina do Dr. Shahid Athar (Professor Associado Clínico da Universidade de Indiana). Clique aqui para fazer o download do livro completo

O Islam e a Saúde Uncategorized