O Que Eu Fiz Para Merecer Isto? Parte 3

O Que Eu Fiz Para Merecer Isto? Parte 3

Por Najwa Awad e Sarah Sultan

Parte 1 e parte 2: clique aqui para ler

PARTE 3: Tirando conclusões precipitadas

Equívoco nº 1

Por que minha vida é tão difícil? Não era para ser assim

A vida está cheia de incertezas. Mudanças e incógnitas são sempre iminentes, mas tendemos a imaginar que somos imunes à imprevisibilidade, os testes que suportamos servem como um lembrete de que não somos. Embora, na realidade, até uma semana atrás, não soubéssemos se estaríamos vivos agora, nossa vida diária nos acalma com uma falsa sensação de certeza.


Allah (louvado seja) nos lembra: “Os homens supõem que, por dizerem: “Cremos”, serão deixados, enquanto não provados? E, com efeito, provamos os que foram antes deles. E, em verdade, Allah sabe dos que dizem a verdade e sabe dos mentirosos.” (Al-Ankabut, 29:2-3)

Embora nossas vidas sejam cheias de incertezas, sabemos de uma coisa com certeza: seremos testados! Quanto mais cedo aceitarmos essa realidade, melhor seremos capazes de lidar com as situações difíceis. Cada luta que surge em nosso caminho nos dá a oportunidade de aprender a lidar com a aflição, com o desconforto e aceitar as circunstâncias que não podemos controlar enquanto trabalhamos simultaneamente no que pode ser mudado.

Ponto de ação: canalize sua energia em uma direção positiva, em vez de lutar contra o inevitável. A aceitação da realidade lhe dá a oportunidade de agir. Embora você possa imaginar que sua vida deveria ter sido diferente, a realidade é que você está exatamente onde deveria estar neste momento de sua vida. Perguntar “por que” não é tão importante quanto perguntar “e agora?” Em vez de perguntar por que isso está acontecendo, pergunte-se: “Isso está acontecendo. E agora?” Nossas respostas, não as próprias circunstâncias, ditam como vivemos nossas vidas. Mesmo que não pareça, você está perfeitamente equipado para lidar com tudo o que está enfrentando, porque foi moldado para enfrentá-lo. Allah nos lembra: “Allah não impõe a alma alguma além do que ela pode suportar…” (al-Baqara, 2:286). Isso não significa que não será difícil, mas significa que você tem as ferramentas para superar. Lembre-se, se Allah escolheu você para enfrentar esses testes, então é garantido que você terá a habilidade de passar por eles.

Equívoco nº 2

Devo ter feito algo para merecer essa dor

Como seres humanos, julgamos com base no bom e no mau que nos é óbvio. De repente, surgem pensamentos como: “Devo ser uma pessoa má para ter de suportar tanta dor”. Quando as coisas não saem como gostaríamos, é tentador supor que, se tivéssemos feito as coisas de maneira diferente, a história teria um final mais feliz. Precisamos acreditar que o mundo faz sentido, que existe uma causa clara para cada efeito e uma razão que podemos apreender para tudo o que acontece. Esses pensamentos são uma forma de autocrítica severa e podem amplificar a dor que você já está sofrendo.

O antídoto para a autocrítica é a autocompaixão, algo que nos foi fornecido por Allah (louvado seja). Temos a tendência de operar sob o pressuposto de que Allah dá coisas boas e permite que as coisas aconteçam àqueles a quem ama. Mas, na realidade, Allah nos diz que Ele testa aqueles que ama. E, na realidade, tanto os momentos de tranquilidade quanto os momentos de dificuldade são testes e também bênçãos.

“Então, quanto ao ser humano, quando seu Senhor o põe à prova, e o honra, e o agracia, diz: “Meu Senhor honra-me. E, quando o põe à prova e lhe restringe o sustento, diz: “Meu Senhor avilta-me.” (Al-Fajr, 89: 15-16)

O versículo subsequente a este começa com a palavra kalla, que significa “Em absoluto!” Aqui vemos que Allah (louvado seja) nega esse processo de pensamento e que Ele provê àqueles que ama, bem como àqueles a quem não ama; e que Ele retém daqueles que ama e também daqueles a quem não ama. Bênçãos e dificuldades não são uma indicação do amor de Allah.

Imaginamos que as dificuldades indicam que Allah está nos punindo, que Allah quer o mal para nós; que O temos adorado por anos e, em vez de bênçãos, temos enfrentado dificuldades. No entanto, considere outras ocasiões em sua vida em que a dor literalmente gerou ganhos. A dor do exercício levou à boa forma e melhor saúde física e mental. A dor de estudar para um grande exame fez com que se sentisse preparado e com um bom desempenho. A dor de trabalhar para melhorar a comunicação com seu cônjuge levou a um relacionamento mais saudável.

As dificuldades nos diferenciam – elas nos permitem progredir e crescer. Às vezes, esse crescimento é visto nesta duniyah e, às vezes, é reservado para o akhirah.

Independentemente disso, pergunte-se: Se Allah realmente quisesse prejudicá-lo, qual a razão de haver a garantia de uma enorme recompensa no akhirah, por tudo pela qual você está passando?

O Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “Allah, o Exaltado, diz: ‘Não tenho recompensa, exceto o Jannah, para um de Meus servos crentes que mostra paciência e antecipa Minha recompensa quando eu retiro do mundo um de seus favoritos.’” (Sahih Bukhari, n° 6424)

“As súplicas de três pessoas nunca são rejeitadas: um jejuador até quebrar seu jejum, um governante justo, e a súplica dos oprimidos que é suspensa por Allah acima das nuvens, os portões do céu são abertos para elas, e o Senhor diz: “Com o Meu poder, vou ajudá-lo no tempo devido.” (Jami’ at-Tirmidhi, n° 3598)

O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “Nenhum cansaço, nem doença, nem tristeza, nem infelicidade, nem mágoa, nem angústia sobrevém a um muçulmano, mesmo que seja a picada que ele recebe de um espinho, sem que Allah expie alguns de seus pecados.” (Sahih Bukhari, n° 5641, 5642)

Isso não soa como punição, não é mesmo?

Ponto de ação: Pensar que você merece sofrer ou uma vida cheia de negatividade é um sintoma de autocrítica. O antídoto é a autocompaixão. Reconheça a tremenda dor que você está suportando por um momento, sem tentar afastá-la. Depois de sentir essa emoção por alguns momentos, pense em como você falaria com um amigo que está lutando contra a mesma situação. Que palavras você usaria? Escreva algumas palavras amáveis, de apoio e gentis que você compartilharia com um amigo e leia para si mesmo. Como é receber compaixão durante este momento difícil?

Equívoco nº 3

Allah é capaz de tudo, então Ele deveria ter me protegido contra isso

Em vez de esperar que Allah (louvado seja) nos conceda tudo o que queremos da maneira que queremos, mudando nossa compreensão para perceber que Ele (louvado seja) nos fornece tudo de que precisamos pode melhorar nossa saúde mental e espiritual.

Quando tiramos conclusões precipitadas sobre por que certos testes foram enviados em nossa direção ou por que não deveriam ter sido enviados em nossa direção, imaginamos, involuntariamente, que somos capazes de saber o que Allah está pensando. No entanto, considere o Nome de Allah, al-Ḥakim: Sapientíssimo; Aquele que atua com perfeito conhecimento, sabedoria e compreensão de tudo; Aquele que faz a coisa certa da maneira certa, no lugar certo e na hora certa.

Abu Bakr (que Allah esteja satisfeito com ele) costumava dizer: “Ó Allah! Tu me conheces mais do que eu me conheço.” (Rida M. Ibn Athir, Abu Bakr al-Siddiq: O Primeiro Califa (Beirute: Dar al-Kotob al-Ilmiyah, 2008), 18). Quando não conseguimos nem mesmo dominar sempre a preparação de um bolo com perfeição (com uma receita em mãos), como podemos esperar dominar a compreensão de cada faceta do universo ou mesmo de cada faceta da nossas próprias vidas?

A diferença entre o conhecimento de Allah e o conhecimento humano é que devemos adquirir nosso conhecimento pelo que vemos e experimentamos ao nosso redor. Por outro lado, o conhecimento de Allah não tem começo ou fim e não é baseado em tentativa e erro. Allah (louvado seja) nos diz no Alcorão:

“E Ele tem as chaves do Invisível; ninguém sabe delas senão Ele. E Ele sabe o que há na terra e no mar. E nenhuma folha tomba sem que Ele saiba disso, e não há grão algum nas trevas da terra nem algo, úmido nem seco, que não estejam no evidente livro” (An-An’am, 6:59)

Enquanto nos concentramos no único fio que imaginamos ser perfeitamente necessário em nossas vidas, Allah (louvado seja) vê por completo a bela tapeçaria que cada fio acabará compondo. Quando Allah, o Onisciente, O Poderoso, O Sábio nos diz que os tempos de tranquilidade e os tempos de dificuldade são testes e cada um tem suas bênçãos, podemos abraçar isso com confiança, apesar de nem sempre sermos capazes de ver como esta tapeçaria está sendo tecida.

Considere esta declaração de Ibn al-Qayyim,

“O mal, como um fenômeno independente no qual nenhuma dimensão do bem esteja envolvida, não existe neste mundo. Não há nada em nossa existência que possa ser chamado de puro mal, porque todo mal neste mundo é bom de um ângulo ou de outro. Por exemplo, a doença prejudica o corpo de um ângulo, enquanto de outros ângulos testa a paciência, evoca resiliência e pode até fortalecer a imunidade. As coisas mais desagradáveis ​​geralmente são assim; nunca anulam possíveis benefícios para o ser humano.” (Ibn al-Qayyim, Shifāʾ al-ʿalīl fī masāʾil al-qaḍāʾ wa-al-qadar wa-al-ḥikmah wa-al-ta‘līl; Cairo: Dar at-Turath, 1978, 380–413)

Sentimentos de tristeza e angústia podem levar a uma visão pessimista da vida e do mundo. Frequentemente, é preciso humildade para realmente abraçar a Sabedoria de Allah. Quando nossas emoções nos dizem uma coisa, mas a Palavra de Allah nos diz outra, é preciso humildade para dizer: “Eu sei que não consigo entender toda a sabedoria dos decretos de Allah, mas posso aceitar que eles existem, mesmo que não os veja agora. ”

Ponto de ação: Lembre-se de que Allah (louvado seja) nos dá tudo o que precisamos, mas não tudo o que queremos. Você já pensou que precisava desesperadamente de algo, ficou desapontado porque não obteve e, depois de algum tempo, concluiu algo que o fez perceber que aquilo não era certo para você? Escreva sobre essa experiência e observe quais pensamentos e emoções surgem.

Equívoco nº 4

Allah não se importa se eu sofrer

Quando coisas ruins acontecem, não significa que Allah se alegre. Por exemplo, Allah gosta quando as pessoas não O adoram? Claro que não, já que Ele diz: “E não criei os jinns e os humanos senão para Me adorarem” (Adh-Dhariyaat, 51:56). Quando assumimos que todos, incluindo Allah, querem nos prejudicar ou não se importam conosco, caímos na distorção cognitiva da interpretação mental. Assumimos as más intenções de Allah porque nossas emoções ultrapassam nossos pensamentos. No entanto, considere a declaração do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele),

“Allah, O Exaltado, diz, ‘Eu sou como Meu servo espera que Eu seja, e estou com ele sempre que ele se lembra de Mim. Se ele se lembra de Mim, eu lembro-Me dele, e se ele se lembra de Mim numa congregação, lembro-Me dele numa congregação melhor (ou seja, a congregação dos anjos). Se ele se aproxima de Mim por um palmo, Eu Me aproximo dele pelo comprimento de um braço. Se ele se aproxima de Mim pelo comprimento de um braço, Eu Me aproximo dele pelo comprimento de uma braça. E quem vem até Mim caminhando, Eu vou até ele em grande velocidade.’” (Sahih Bukhari, n° 7405)

Nossos processos de pensamento em relação a Allah têm muito mais a ver conosco do que com Allah. Portanto, faz sentido que Allah seja como esperamos que Ele seja – se esperarmos bem de Allah, O encontraremos em todas as situações; se esperarmos mal de Allah, não perceberemos nada além disso.

Quando passamos por algo traumático, nossa mente nos leva a um conceito errado sobre Allah. Isso pode ser particularmente verdadeiro quando fomos magoados por alguém em nossas vidas. Quando uma pessoa te machuca, não significa que Allah (louvado seja) não se importa se você está sofrendo. Allah (louvado seja) concedeu a cada um de nós o livre arbítrio. Por meio desse livre arbítrio, Ele permite que as coisas aconteçam, mas responsabiliza cada um de nós por tudo o que é feito. Ibn al-Qayyim afirma,

“Quando o servo comete um ato proibido, o que ele fez é certamente mau e pecaminoso, e o Senhor é Aquele que o capacitou a ser o ‘agente’ desse [ato]. Essa capacitação de Allah é justiça, misericórdia e correção, pois capacitar alguém para agir [livremente] é bom, enquanto a manifestação da pessoa [neste caso] foi má e ruim. Ao capacitar, Allah colocou as coisas onde elas pertencem, pois isso [conceder livre arbítrio] contém profunda sabedoria pela qual Ele deve ser louvado. Portanto, isso é realmente bom, sábio e benéfico, mesmo que o que o servo faça seja uma falha, um defeito e o mal.” (Ibn al-Qayyim, Shifa’ al-‘alil, 361)

Embora o livre arbítrio seja uma bênção, também significa que, às vezes, esse livre arbítrio é usado para o mal. Allah não é a causa direta deste mal, nem gosta dele, entretanto, permite que o livre-arbítrio permaneça para um propósito e um bem mais elevados. Permitir que as pessoas cometam o mal não indica que Allah não nos ama ou se importa conosco, uma vez que faz parte de seu amor e cuidado nos dar liberdade para agir. Se você não tem certeza do amor de Allah, considere este hadith:

Foi narrado que ʿUmar ibn al-Khaṭṭab (que Allah esteja satisfeito com ele) disse: “Alguns prisioneiros foram trazidos ao Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), e havia uma mulher entre os prisioneiros que estava procurando (por seu filho). Quando ela encontrou seu filho, ela o abraçou e colocou-o em seu peito. O Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) nos disse: ‘Vós pensais que esta mulher jogaria seu filho no fogo?’. O Mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: ‘Allah é mais misericordioso com Seus servos do que esta mulher com seu filho.’” (Sahih Bukhari, n° 5653, Sahih Muslim, n° 6921)

Ponto de ação: Nossas emoções podem ser muito poderosas, mas nossos pensamentos e ações também podem ser. Quando você perceber que está se sentindo mal-amado e duvidando que Allah (louvado seja) se preocupa com você, considere as maneiras pelas quais Ele tem mostrado amor e cuidado por toda a sua vida. Trabalhe suas emoções difíceis mudando seus pensamentos, crie uma lista das diferentes formas pelas quais Allah o protege, mostre misericórdia e se dê o que você precisa. Para trabalhar suas emoções difíceis mudando suas ações, crie uma lista de maneiras para nutrir seu relacionamento com Allah (louvado seja) e escolha uma para focar hoje.

Fonte: Yaqeen Institute

Continua na Parte 4: Clique aqui para ler

O Islam e a Saúde