Casamento de Revertidos e Choque de Cultura

2017-10-28-PHOTO-00000209.jpg

É anti-islâmico induzir um revertido a romper com os laços familiares com seus parentes. Isso só irá dificultar suas relações, e os parentes da esposa somente irão se ressentir com o marido e o Islam. Seja sábio e seja justo.

Todos os revertidos têm família e amigos não muçulmanos.

Aceite isso. Não mudará a menos que Allah os guie para o Islam.

Muitos homens muçulmanos casados com mulheres revertidas tendem a esquecer disso e pensam que têm o direito de evitar que sua esposa visite seus amigos e familiares.

Embora o marido tenha o direito de evitar que sua esposa passe tempo com amigos não muçulmanos que a influenciam a fazer coisas não islâmicas, ele não deve fazê-lo se não for esse o caso. Nem todos os não muçulmanos influenciarão uma pessoa a se desviar, se respeitarem a escolha dela quanto às crenças.

Ninguém se sentiria satisfeito se seus parentes fossem referidos como "aquelas pessoas". Essas palavras doem, e nunca serão esquecidas. Lembre-se de que seu cônjuge costumava ser uma "daquelas pessoas" e foi orientado para o Islam, então não deixe que a falta de escolha de palavras melhores, impeça que isso aconteça com sua família.

No que diz respeito à família, é anti-islâmico provocar o rompimento dos laços familiares com seus parentes. Isso só irá dificultar suas relações, e os parentes pelo casamento somente irão se ressentir com o marido e o Islam. Eles nunca abrirão suas mentes ao Islam se notarem que seus filhos estão sendo impedidos de terem um relacionamento com eles. Isso é apenas lógica.

É ideal promover boas relações com a família para abrir uma porta ao islam, para que entre em suas casas e corações. Visite a família com eles de vez em quando, presenteie e convide-os para sua casa também! Mostre-lhes como o Islam é realmente, em vez de alimentar os motivos para que acreditem nas mentiras e na manipulação das informações espalhadas pelos meios de comunicação.

 

Você é muçulmano agora, você deve esquecer todas essas festividades!

Este é outro tópico que merece um livro a respeito. Um novo muçulmano, às vezes, pode ter dificuldade em desenvolver sua mentalidade em relação aos feriados não islâmicos. Só este problema é a causa raiz de muitos casamentos fracassados com revertidos.

Tenha em mente que isto é causado pela recusa do revertido a se adaptar às visões e práticas islâmicas relativas aos feriados, tanto quanto é causado pelo fato do cônjuge ser impaciente e exagerado.

Mahmoud, um egípcio, casou-se com uma revertida alemã chamada Gretchen, e moraram no Egito depois de se casarem. Gretchen aceitou o Islam vários anos após o casamento com Mahmoud. Ela disse que ele nunca a forçou e que ela aceitou o Islam por vontade própria.

No entanto, três anos depois de aceitar o Islam, Mahmoud ficou frustrado porque ela não estava tentando aprender ou executar qualquer coisa em relação ao Islam. Ele não sabia o que fazer. Ele foi muito paciente com ela, mas deu um basta no último Natal.

Ela convidou todos os seus colegas de trabalho à casa deles para uma festa de Natal que teria álcool servido aos convidados, pois seus colegas de trabalho eram todos não-muçulmanos. Ele se recusou a permitir que ela fizesse tal coisa, e ela começou a chamá-lo de extremista. Desnecessário dizer que a tensão pairou e as brigas nunca pareciam ter fim.

Não há uma solução simples para os feriados. Cada pessoa e cada casal é diferente. Ambas as partes devem encontrar um equilíbrio e traçar um plano sobre como lidar com o problema. Eu sempre recomendo que o revertido ajuste gradualmente seus pensamentos e pratique durante um período de 1-2 anos.

Existem maneiras de respeitar a família e manter os princípios islâmicos ao mesmo tempo. Ela sempre usou a desculpa "você não está me dando tempo", mas ele sentiu que ele havia dado três anos para que ela se adaptasse a um estilo de vida islâmico, e ela não havia feito nenhum esforço nisso. Ele pediu-lhe que fizesse um curso islâmico sobre Aqidah (crença), e ela se recusou, e saiu pela tangente fazendo com que ele parecesse ser um extremista para todos que conhecia e, por fim, eles se divorciaram.

O cônjuge deve tentar encontrar maneiras de trabalhar a questão dos feriados, permitindo que seu parceiro revertido visite a família “próximo” ao feriado e evite participar de algo religioso. Isso pode ser feito, mas você deve discutir como gerenciar as coisas com antecedência para que não haja conflitos no último minuto.

Revertidos têm que assumir alguma responsabilidade a este respeito, e não dar desculpas e manipular o seu cônjuge para aceitar algo que não é islâmico. Não espere que seu cônjuge seja tolerante para sempre na questão. Por outro lado, o cônjuge precisa ser paciente e oferecer soluções realistas para o assunto que diz respeito a ambos. Pode ser feito, mas mantenha o respeito, fique calmo e encontre uma solução que ambos possam concordar e se adaptar ao longo do tempo.

 

As esposas revertidas merecem o mesmo

Muitas vezes, os homens muçulmanos procuram revertidas simplesmente por causa dos dotes excessivos e demandas que as mulheres de sua própria cultura exigem e que não são realistas. Revertidas geralmente não exigem muito, e preferem manter as coisas simples. No entanto, isso não significa que "mereçam" menos ou sejam tratadas inferiormente.

Maryam, uma americana revertida, era muçulmana há sete anos antes de se casar com o marido. Eles concordaram em um mahr (dote) de salário por três meses e um anel de casamento. Ela colocou condições em seu casamento sobre várias coisas que ele concordou, incluindo uma cláusula financeira de divórcio (mo'akhar), no caso de ele querer divorciar-se por qualquer motivo. O casamento deles era repleto de amor, compaixão, respeito e compreensão.

No entanto, muitas irmãs revertidas acham que seu futuro marido fala com elas como se ela fossem gananciosas, ou não seguissem a Sunnah se elas pedirem essas coisas que são direitos delas!

Isso pode fazer com que uma mulher sinta como se não tivesse o mesmo respeito que outras mulheres da cultura dele, porque nenhuma mulher aceitaria a recusa dele sobre tais coisas se ele se casasse com uma mulher de seu próprio país. Se um homem resistir a essas coisas, que são questões básicas, você deve entender como um sinal de que ele não será justo com você no casamento.

Outro fator que afeta negativamente as irmãs revertidas é quando um homem nascido e criado Muçulmano se ofende com o fato dela ter um wali (guardião) e colocá-lo para proteger seus direitos e investigar sobre ele e sua família.

Os homens assumem automaticamente que ao se casar com uma irmã revertida estrangeira, que ela não terá um wali, e ele será capaz de "fugir" de muitas responsabilidades e esconder alguns detalhes traiçoeiros sobre si mesmo, dominando-a através da ingenuidade.

Se um irmão tiver um problema por você ter um wali, corra e não olhe para trás! Qualquer mulher do país dele terá um wali, e ele vai verificá-los, e isto não é nada anormal.

Se uma mulher não tiver o mesmo respeito e os direitos que uma mulher de um país Muçulmano teria, tenha certeza de que, em algum momento do casamento, haverá enormes conflitos.

Proteja-se porque, se não o fizer, ninguém mais fará. Se um homem não tem nenhum problema com tais requisições, ou mesmo insiste nelas, então ele é um protetor, porque esses irmãos estão são poucos atualmente.

Que Allah nos conceda a todos uma casa abençoada e feliz, com cônjuges carinhosos, respeitosos e amorosos que tenham taqwa.

Amin.

 

Fonte: AboutIslam.net


You have no rights to post comments