Empatia no casamento: como se conectar emocionalmente com o seu cônjuge

Todos sabemos que o relacionamento conjugal é considerado extremamente importante no Islam. Além de cumprir metade do nosso din, ele é uma salvaguarda, um lugar para encontrar a paz e também uma sunnah altamente recomendada.

Nosso amado Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse:

“O casamento faz parte da minha sunnah, e quem não segue a minha sunnah não tem nada a ver comigo.” [Ibn Majah]

Mas por é que tantos muçulmanos estão insatisfeitos com essa importante parte de suas vidas e religião? Eu acho que é porque nossos casamentos não têm empatia, ou em outras palavras, compreensão emocional. A empatia é simplesmente o ato de sentir as emoções do seu cônjuge; juntando-se emocionalmente a ele ou ela, como se estivesse “se colocando no seu lugar”. Vou discorrer sobre como o Islam incentiva a empatia no casamento, como ela pode transformá-lo e como você pode praticá-la para melhorar seu relacionamento com seu cônjuge, In sha Allah!

Sentimentos dentro do casamento no Alcorão

O Sagrado Alcorão nos lembra sobre a importância dos sentimentos no casamento:

“E, dentre Seus sinais, está que Ele criou, para vós, mulheres, de vós mesmos, para vos tranquilizardes junto delas, e fez, entre vós, afeição e misericórdia. Por certo, há nisso sinais para um povo que reflete.” [30:21]

“Ele é Quem vos criou de uma só pessoa e, desta, fez sua mulher, para ele tranquilizar-se junto dela. E, quando com ela coabitou, ela carregou dentro de si uma leve carga. E movimentava-se com ela, sem dificuldade. Então, quando se tornou pesada, ambos suplicaram a Allah, seu Senhor: "Em verdade, se nos concederes um filho são, seremos dos agradecidos." [7:189]

Como podemos perceber dos versículos anteriores, o casamento é feito idealmente para ser uma fonte emocional de conforto para nós. Ele nos permite experimentar o amor, a misericórdia, o entendimento e a paz a partir de alguém que é um companheiro para a vida.

Empatia no casamento no Islam

O nosso abençoado Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) mostrou compreensão emocional em relação às suas esposas de muitas maneiras. Ele era conhecido por expressar abertamente seu amor por suas esposas e nos mostrou vários exemplos de como tratar nossos cônjuges gentil e atenciosamente.

Considere o seguinte ahadith:

1. Sua esposa, Aisha (que Allah esteja satisfeito com ela), narrou:

“Era o dia de 'Eid, e os etíopes brincavam de escudos e lanças; então eu pedi ao profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) ou ele me perguntou, se eu gostaria de ver a exibição. Respondi afirmativamente. Então o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) me fez ficar atrás dele e minha bochecha estava tocando sua e estava dizendo: “Continue! O Bani Arfida ”, até que me cansei. Ele (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) me perguntou: "Você está satisfeita (Isso é suficiente para você)?" Respondi afirmativamente e ele me disse para ir. "[Bukhari]

Este hadith mostra que nosso amado Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) considerou a necessidade emocional de felicidade de suas esposas por felicidade e diversão através do entretenimento halal.

2. Al-Aswad (que Allah esteja satisfeito com ele) disse:

“Perguntei a ‘Aisha (que Allah esteja satisfeito com ele) ‘O que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) faz quando está com sua família?’ Ela respondeu: ‘Ele faria tarefas para sua família, e sairia quando fosse a hora de rezar.” [Bukhari]

Este hadith mostra que nosso amado Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) ajudava sua família com suas tarefas, indicando que ele sempre foi atencioso e se preocupava em facilitar-lhes as coisas da forma que pudesse.

3. Narrou Anas (que Allah esteja satisfeito com ele)

“Chegou à Safiyyah que Hafsah a chamara de "filha de um judeu", assim ela (Safiyyah) chorou. Então o profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) foi até ela enquanto chorava, e ele disse: ’O que fizestes-vos chorar?’ Ela falou:' Hafsah disse que sou a filha de um judeu.’ Então o Profeta (paz e bênçãos de Allah estejam com ele) disse: 'E sois a filha de um Profeta, e seu tio é um Profeta, e sois casada com um Profeta, então por que ela está se gabando? ”Depois ele disse: 'Temei a Allah, ó Hafsah.'” [Tirmidhi]

Nosso amado Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) se importava com os sentimentos de suas esposas e as consolaria com humor e palavras carinhosas, sem magoar a ninguém no processo.
Como a empatia beneficia o casamento

Quando você praticar empatia em seu casamento, o transformará em uma união mais forte, mais real e mais agradável. Os cônjuges de fato conhecerão e amarão uns aos outros pelo que realmente são, In sha Allah, quando forem capazes de se relacionar emocionalmente.

A maioria das pessoas concorda que a comunicação aberta é a base de um casamento saudável. No entanto, os terapeutas de casamento acreditam que a comunicação comum não é suficiente. O que o casamento realmente precisa prosperar é a compreensão emocional ou a empatia.

Normalmente, os problemas mais reconhecidos em um casamento são apenas problemas superficiais. Os casais precisam cavar mais fundo para descobrir os verdadeiros problemas subjacentes em seus casamentos. Estes tendem a ser problemas emocionais, tais como não se sentir respeitado ou não se sentir apreciado.

Além disso, a empatia pode salvar seu casamento de problemas de infidelidade. Megan Wyatt, life coach e fundadora da wivesofjannah.com , ensina que a razão número 1 para que os casamentos enfrentem problemas de infidelidade é a falta de conexão emocional.

Como podemos praticar a empatia no nosso casamento?

1. Empatia com os outros começa com a auto empatia

Treine-se para estar mais consciente de seus próprios sentimentos. Isso, por sua vez, te ajudará a reconhecer os sentimentos de seu cônjuge e também melhorará sua comunicação. Sua capacidade de sentir empatia em relação ao seu cônjuge depende de quanta empatia você é capaz de mostrar a si mesmo.

Exemplo: Uma esposa percebe que está se sentindo infeliz porque o marido parece estar muito apertado com o orçamento familiar. Ela respeita o desejo do marido de economizar dinheiro, mas também o considera desnecessariamente frugal. Ela decide abordar a questão e conversar com ele sobre seus sentimentos contraditórios, ao mesmo tempo em que demonstra a compreensão do ponto de vista dele.

2. Reconhecer e validar os sentimentos do seu cônjuge

Quando seu cônjuge estiver emocionalmente perturbado, mostre que você entende os seus sentimentos . Seu cônjuge quer sentir que você o ouve e o compreende. Você desempenha uma dos papeis mais importantes em suas vidas, então o que lhes diz é imensamente importante.

Dica de ação: quando seu cônjuge estiver compartilhando seus sentimentos, mostre que você entende nomeando-os. Por exemplo, pode-se dizer: "Eu entendo que você se sinta magoado agora". Ao fazer isso, resista ao impulso de dar conselhos ou uma solução. Não é disso que eles estão atrás. Eles simplesmente querem alguém que os entenda.

Fato real: Uma amiga minha estava ressentida com o marido porque ele nunca demonstrou nenhum carinho ou compreensão quando ela conversou com ele sobre a dor da morte de seu pai quando ela era criança. Finalmente, ela lhe disse como estava chateada por sua falta de empatia por sua perda. Por fim, o marido validou seus sentimentos ao visitar o túmulo de seu pai com ela, o que transformou seu ressentimento em amor.

3. Ajude seu cônjuge a ter empatia, expressando genuinamente seus sentimentos

Seu cônjuge não é um leitor de mentes. Compartilhe seus pensamentos e sentimentos sobre o seu mundo interior. Mesmo que você não tenha certeza de como se sente, você pode e deve compartilhar seus sentimentos mistos com seu cônjuge até que você seja capaz de entender melhor seus sentimentos.

Exemplo: Muitos casais muçulmanos lutam com questões de intimidade física em seus casamentos. Eles podem sentir vergonha de falar sobre esses problemas, mas como o seu cônjuge saberá o que você realmente pensa e sente sobre esse assunto se não lhes contar?

4. Use empatia durante desentendimentos

Como mencionado acima, a auto empatia é extremamente importante na resolução de conflitos com o seu cônjuge. Se você está com raiva, você deve estar ciente de sua raiva e esperar até que você se sinta mais calmo antes de falar com seu cônjuge. Narrado por Abu Huraira (que Allah esteja satisfeito com ele): Um homem disse ao profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), “Aconselhe-me! “O profeta (paz e bênçãos de Allah estejam com ele) disse:“ Não fique com raiva e furioso. ”O homem perguntou (o mesmo) repetidas vezes, e o Profeta (que paz e bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse em cada caso: "Não fique bravo e furioso." [Bukhari]

Dica de ação: na próxima vez que você estiver sentindo um sentimento negativo, como raiva, lembre-se de que este não é o momento de conversar com seu cônjuge. Espere até você se sentir mais calmo para discutir problemas.

Quando você estiver calmo o suficiente para falar sobre desentendimentos com seu cônjuge, esforce-se para ter empatia com ele ou ela. De preferência, resuma seu ponto de vista para mostrar que você realmente entende, antes de tentar se defender.

Técnica de aconselhamento real: muitos terapeutas pedem aos membros da família que falem sobre um assunto do ponto de vista de outro membro da família. O objetivo é criar empatia e "sentir" a questão do ponto de vista da outra pessoa. Praticar empatia é uma maneira de mostrar que você se importa com seu cônjuge.

Portanto, praticando empatia, você será capaz de construir um relacionamento mais profundo com seu cônjuge, lidar com conflitos com mais compreensão e ser amado por quem você realmente é, In sha Allah.

Espero que este artigo nos ajude a concretizar este versículo do Alcorão em nossos casamentos:

“E os que dizem: "Senhor nosso! Dadiva-nos, da parte de nossas mulheres e de nossa descendência, com alegre frescor nos olhos e faze-nos guia para os piedosos." [25:74]

 

Tradução e Livre adaptação: Islane Castelo
Em cooperação voluntária com o original de Sheima Salam Sumer


You have no rights to post comments

Console de depuração do Joomla!

Sessão

Informação do perfil

Memória Utilizada

Consultas ao banco