Nos tempos caóticos e confusos em que estamos vivendo muitas mulheres estão se voltando ao Islam por enxergarem sua beleza, simplicidade e nobreza.

Elas querem servir a Seu Senhor e Criador e adorar somente a Ele, sem parceiros

ou intercessores e sem recorrer à práticas supersticiosas.

Tão logo as mulheres muçulmanas procuram praticar sua fé, elas começam a reconhecer a importância da modéstia e percebem o mal na nudez.

Muitos homens tiram vantagem das mulheres e as veem com nada mais do que objetos sexuais a serem usados.

Esta não é a visão islâmica das mulheres.

Mas há um ponto preocupante para os muçulmanos: uma mulher cristã, como uma freira, por exemplo, com roupas modestas e que cobre sua cabeça e corpo seja vista como justa, nobre e modesta – no entanto, se uma mulher muçulmana é vista com o mesmo tipo de roupa, ela é rotulada como extrema, ou oprimida pelos homens, mesmo que ela use o véu por escolha própria!

O status da mulher muçulmana no Islam é muito nobre e sublime, e seu efeito é muito grande na vida de todo muçulmano.

De fato, a mulher muçulmana é a base inicial na construção de uma sociedade justa, ela segue a orientação do Alcorão e da tradição profética, uma vez que a adesão ao alcorão e as tradições proféticas, distanciam cada muçulmano (homem ou mulher) de ser mal orientado em qualquer assunto.

Assim, na prática de sua fé, a mulher muçulmana sabe que deve cobrir-se como um ato de obediência ao seu Criador. Mas, até que ponto, e quais são as condições do uso correto do véu islâmico?

Muito tem sido escrito e dito no ocidente sobre este tópico importante, mas infelizmente a maior parte erra o alvo.

A mulher muçulmana é obrigada a cobrir-se conforme os regulamentos do Alcorão e Sunnah.

Nos últimos tempos essas exigências têm sido distorcidas devido a ignorância generalizada entre as comunidades muçulmanas.

Vereditos são frequentemente dados por aqueles que são referidos como “estudiosos muçulmanos”. Mas, esses vereditos são muitas vezes baseados em preconceitos culturais ou políticos, e não no Alcorão e na Sunnah.

É preciso considerar também, o código de vestimenta das mulheres crentes no tempo do Profeta, como fonte de orientação para a mulher muçulmana dos tempos modernos, já que a religião islâmica não está confinada a uma época ou local em particular, mas sim, a beleza do Islam é para todos os tempos, lugares, e todas as pessoas são bem vindas a ele.

Portanto, este pequeno artigo destina-se a esclarecer o leitor, com as condições do hijab, baseado em provas textuais com a compreensão dos companheiros do Profeta Muhammad (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele).

A primeira condição: Cobrir todo o corpo, exceto o que seja permitido estar descoberto. Isto é mencionado na declaração de Allah, o Altíssimo. “Dize às fiéis que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores e não mostrem os seus atrativos, além dos que (normalmente) aparecem; que cubram o colo com seus véus e não mostrem os seus atrativos, a não ser aos seus esposos, seus pais, seus sogros, seus filhos, seus enteados, seus irmãos, seus sobrinhos, às mulheres suas servas, suas criadas isentas das necessidades sexuais, ou às crianças que não discernem a nudez das mulheres; que não agitem os seus pés, para que não chamem à atenção sobre seus atrativos ocultos. Ó fiéis, voltai-vos todos, arrependidos, a Deus, a fim de que vos salveis!” (Alcorão 24 : 31)

Há também Sua declaração: “Ó Profeta, dize a tuas esposas, tuas filhas e às mulheres dos fiéis que (quando saírem) se cubram com as suas mantas; isso é mais conveniente, para que distingam das demais e não sejam molestadas; sabei que Deus é Indulgente, Misericordiosíssimo.” (Alcorão 33: 59)

Então, no primeiro versículo há uma obrigação clara sobre a mulher, para esconder todos os seus atrativos, e a proibição de mostrá-los na frente de estranhos, exceto os que aparecem involuntariamente ou inevitavelmente, e sua roupa exterior é usada sobre suas roupas normais.

E, quanto ao significado da palavra hijab, ela é definida como um grande pano que cobre as peças de vestuário da mulher, bem como lenço de cabeça, como já foi mencionado pelos estudiosos da religião e língua árabe, como: Ibn Hajr, Al-Baghawee, Ibn Hazm, Al-Qurtubi e outros.

Isto ainda é apoiado pela declaração da companheira Umm Attiyah, o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) nos ordenou a sair para a oração da manhã, então eu disse: “Ó mensageiro de Allah! Se uma de nós não tiver um hijab? Ele respondeu: Deixe-a vestir o hijab de sua irmã. (Bukhari e Muslim)

Então, esta narração mostra claramente que mesmo se a mulher não tiver um hijab pra vestir antes de sair de sua casa, ela deve pedir um a uma irmã muçulmana. Então, não há dúvida que vestir o hijab é uma obrigação da mulher estabelecida no Alcorão e Sunnah.

Então, a mulher deve estar totalmente coberta. Mas ela está autorizada a descobrir seu rosto e mãos e até seu pulso se ela quiser, como já foi dito por muitos estudiosos dos tempos antigos, baseados em várias declarações de Allah. Embora seja melhor cobrir o rosto e as mãos.

 O grande estudioso Al-Albaani afirmou que o hijab pode ter uma ou duas peças, desde que abranja o véu e atenda todas as condições citadas aqui.

 A segunda condição: O hijab não deve ser enfeitado. Isto é baseado na declaração de Allah: “…e não mostrar seus adornos..” (em Alcorão 24:31).

Esta beleza e adornos fariam com que os homens olhassem para as mulheres crentes com desejo. E ainda é reforçado pela declaração de Allah, o Altíssimo: “e não mostrar os seus adornos, como nos tempos da ignorância.” (Alcorão 33:33)

O Profeta disse: a mulher de quem o marido se ausenta, e ele lhe deixa provisões suficientes, e ela mostra sua beleza na ausência dele, então, não terá direito sobre eles (pois estão arruinados) (reportado por Al Hakim). O Imam Adh-Dhahabi, afirmou em seu livro de grandes pecados, que as ações que fazem uma mulher ser amaldiçoada são mostrar sua beleza, tal como mostrar ouro, pérolas, ou se perfumar ao sair de casa.

É, no entanto, permitido a uma mulher, utilizar outra cor que não seja preto ou branco para seu hijab, contanto que esteja entre as normas afirmadas pelos estudiosos.

 A terceira condição: Que o hijab seja grosso e não transparente. O profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), disse: “Haverá, na última parte da minha nação, mulheres que estarão despidas ainda que estejam vestidas. Suas cabeças se assemelham a corcovas de camelos. Amaldiçoai-as, pois na verdade elas são amaldiçoadas. Elas não serão admitidas no Paraíso, sem sentir sua fragrância.” (Relatório Combinado por at-Tabarani e Muslim)

O grande estudioso Ibn Abdul-Barr afirmou que isto se refere ao vestuário que é fino e mostra o corpo e não o esconde, ela é chamada de vestida, mas na realidade está nua.

Em uma narração relatada por Al-Bukhari, Ibn Sad e Al Baihaqi, afirma-se autenticamente que Umm Alqamah disse: “Eu vi a filha de Abdur Rahman entrar em direção a Aisha (esposa do Profeta), e Hafsa estava vestindo um khimar transparente e fino. Então Aisha o tirou dela e disse: Você não sabe o que Allah revelou na surata an- Nur? Ela então pediu um khmar e a vestiu com ele. O significado do hijab, e a preocupação com o transparente, é que a cor da pele e as roupas que estão por baixo sejam vistas.

 A quarta condição: Que o hijab seja largo e não justo,  de modo a revelar a forma do corpo. E a razão para isso é que o propósito da vestimenta externa da mulher é evitar a tentação e os desejos. E não se consegue isto, a não ser com um vestuário largo.

Então, mesmo que a beleza que está por baixo não pode ser vista, porque a vestimenta cumpre a condição anterior, deve também cumprir esta importante condição, através da qual a forma e o tamanho das partes do corpo da mulher não aparecem, tais como seios e cintura, devido à largura do hijab.

A quinta condição: Que o hijab não seja perfumado. Há várias narrações do mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), que proíbe a mulher de sair de casa perfumada. O profeta (paz esteja com ele) disse: Qualquer mulher que se perfuma e passa entre as pessoas para que possam sentir seu cheiro, se assemelha a um fornicador. (Relatado por An-Nassaee, Abu Davud, e At- Tirmidhi).

Zainab Ath-Thaqafiyad afirmou que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “Se alguma de vocês mulheres, sair para ir á mesquita, não saia perfumada.” (Relatado por Muslim).

Uma mulher passou por Abu Hurairah com cheiro de perfume, então ele disse a ela: Ó mulher serva do Exaltado! Você está indo á mesquita? Ela respondeu: Sim!

Ele disse: e você se perfumou para isso? Ela respondeu: Sim!

Então volte e tome um banho, pois na verdade eu ouvi o mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) dizer: Allah não aceitará a oração de uma mulher que sai para a mesquita com cheiro de perfume, até que ela se banhe (para tirar o cheiro).

(Relatado por Al-Bayhaqee). Então, essas provas textuais devem ser aviso suficiente com relação a este assunto sério.

 A sexta condição: Que o hijab não se assemelhe a roupas de homens. Esta condição é baseada em extensas narrações autênticas que proíbem as mulheres de se parecerem com homens e homens de se parecerem com mulheres.

Abu Hurayrah disse: O mensageiro de Allah amaldiçoou o homem que veste roupa de mulher e a mulher que veste roupa de homem. (Relatado Abu Dawood, Ibn Maajah e Al-Hakim).

E Abdullah Bin Amr disse que ouviu o mensageiro de Allah (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) dizer: não são dos nossos, os homens que se assemelham a mulheres, nem as mulheres que se assemelham a homens. (Relatado por Ahmad).

Ibn Abbas afirmou: O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) amaldiçoou os homens que se levam ao comportamento afeminado de mulheres e amaldiçoou as mulheres que se levam ao comportamento viril dos homens. (Relatado por Al-Bukhari e Abu Davud). E isto refere-se a assumir o comportamento que é específico para o sexo oposto, como utilizando os tipos de embelezamento, jóias e roupas etc.

 A sétima condição: Que o hijab não se pareça com a roupa dos incrédulos. Os textos do Alcorão e da Sunnah estabelecem aos muçulmanos que eles tenham sua própria identidade, e esta deve ser preservada. Portanto, a legislação islâmica proíbe os crentes de se assemelharem aos incrédulos no que é específico para eles, em suas adorações, celebrações e roupas. Este é um princípio importante no Islam, que tem sido abandonado nesses tempos, tanto que grande parte da herança islâmica está sendo perdida como o passar das gerações, e isso é devido ao grande número de muçulmanos que estão a seguir cegamente práticas culturais não islâmicas.

A este respeito existem muitas narrações autênticas do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), tais como, diferir do povo das escrituras, diferir dos judeus, diferir dos incrédulos. Qualquer que imite um povo pertence a ele. (Relatado por At-Tirmidhi, Ibn Hibbaan, Abu Davud e outros).

Assim, ele ordenou que as pessoas sejam diferentes dos não muçulmanos em muitas questões, tais como o crescimento da barba, aparar o bigode, orar com sapatos, etc.

Além disso, o mensageiro de Allah disse: Você vai seguir os caminhos dos que vieram antes de ti, palmo por palmo e côvado por côvado, então, se eles entrarem no buraco de um lagarto, você certamente entrará também.

Então foi dito: Você quer dizer os judeus e os cristãos? Ele disse: quem mais?

(Relatado por Al-Bukhari e Muslim).

 A oitava condição: Que o hijab não seja para Shuhrah. Quer dizer, ostentação, ou buscando fama e reputação. O profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: Quem usa roupas procurando  destacar-se, ou buscando fama neste mundo, Allah vai vesti-lo com roupas de humilhação no Dia da Ressureição, então ele será queimado. (Relatado por Abu Davud e Ibn Maajah).

Sheikh Al-Albaani mencionou que esta fala refere-se a qualquer roupa que é usada com a intenção de se destacar entre as pessoas, seja roupa cara como forma de mostrar o que possuem em relação a este mundo, ou adornos, ou roupas humildes e desgastadas, para mostrar abstinência e para exibir um ato de justiça, para impressionar aos outros.

Ibnul-Atheer declarou que isto significa fazer algo manifesto, e a intenção aqui, é que a roupa faça com que um se destaque entre os outros, devido à sua cor ser diferente das outras roupas, para fazer com que os outros olhem para essa pessoa mostrando auto importância, o que provoca espanto e orgulho. (Veja Naylul-Awtaar 2/94).

Quando perguntado sobre as várias cores de jilbab que as esposas do Profeta usavam, Sheikh Al-Ubaid Jaabiree afirmou que a intenção do que foi mencionado nas narrações é o que chama a atenção, e não as cores em si.

Por isso, não se deve visionar que as Mães dos Crentes e suas irmãs entre os companheiros ou seus sucessores, costumavam usar hijabs ou Khimars, de modo a chamar a atenção dos homens não permitidos a elas.

 

Fontes: Jilbaab al-Mar?atil-Muslimah fil-Kitaab was-Sunnah? do Sheikh Al-Albaanee e Madeenah Dawrah (1428H) do Sheikh Ubaid al-Jaabiree.

Tradução da publicação original:

http://www.salafipublications.com/sps/sp.cfm?subsecID=HJB&articleID=HJB0002&articlePages=1