Profeta Muhammad (que a paz esteja com ele) – Misericórdia para a Humanidade

mosque 405239 640

No final do século VI EC [Era Cristã] a humanidade perdeu toda a orientação que veio do seu Criador e Sustentador, no que diz respeito a seu modo de viver, agir e se comportar na terra. Não havia direitos humanos em nenhum lugar do mundo. Sob o domínio das duas superpotências da época, os Impérios, Romano e Persa, apenas a classe dominante desfrutava de todos os direitos e privilégios.

   O homem comum não possuía direitos que valessem o seu nome e era tratado como servo. Mulheres eram tratadas no Cristianismo como “intocáveis” e sob o paganismo Hindu, elas não tinham o direito de viver após a morte dos seus maridos. Elas teriam de morrer (queimadas vivas) com eles devido ao costume prevalente da Idade Antiga, “sati”. A Europa estava a lutar sobre a sua Idade das Trevas e America não era conhecida de todo pelo mundo civilizado da época. A Humanidade estava, assim, a passar por páginas negras da sua história; o seu fado jazia na obscuridade e aparentemente não tinha esperanças no seu “destino”.

   Os padres cristãos, santos e eremitas do tempo estavam todos à espera da chegada de um Mensageiro de uma terra no deserto, coberto com árvores de tâmaras, como profecias na Biblía previam. Apenas a Cidade de Medina, no coração da Península Árabica, satisfazia aquele critério. Eles estabeleceram numerosos mosteiros no seu Arco Norte. O mosteiro de Ba’hirah Rahib era um deles. Professor Taha Yaseen do Egito deu uma vívida descrição destes mosteiros no seu livro da Seerah(Biografia) do Rassulullah (salallahu alayhi wa salam) e mostrou como avidamente o mundo Judaico-Cristão estava à espera do novo Mensageiro de Deus (Allah). O relato detalhado dado pelo amado companheiro do Profeta, Salman Al-Farsi (que Allah esteja Satisfeito com ele), sobre a sua chegada a Medina em busca do Mensageiro, como direcionado pelos padres Cristãos, confirma a procura e a longa espera no mundo Cristão.

   Infelizmente, no fim do século XX e no início do século XXI, a humanidade mais ou menos como um todo, estava a experienciar uma situação semelhante àquela do século VI, mas numa perspetiva diferente. No século VI, as causas de preocupação e espera, eram genuínas como todas as anteriores orientações de Deus,  eram ora perdidas, ora mutiladas através das inovações e manipulações assim como os modelos de vida dos Mensageiros anteriores, exceptuando alguns escassos relatos que não poderiam levar ou entregar um sistema e um modelo dos seus padrões de vida pelo qual viver pela sociedade humana. No contexto do mundo atual, toda a Orientação do Criador e Sustentador é disponível intacta na sua forma original assim como o modelo de vida do Mensageiro, o guia, o exemplo no que diz respeito ao modo de viver, agir e se comportar no mundo nos seus mais mínimos detalhes. É apenas a abnegação do mundo Judaico-Cristão-Pagão que é cego à sua existência na sua totalidade. É devido aos velhos preconceitos, animosidade histórica e ignorância de uma natureza sem precedentes; que está a ser ignorada de uma forma ou de outra.

   A sua cegueira é pela sua livre vontade e não por acidente ou qualquer erro natural. Pode ser denominado como “cegueira à luz do dia”. Eles estão na necessidade desesperada de um sistema para justiça, paz, segurança e um modelo ideal para liderar uma vida equilibrada e organizada a seus níveis pessoal, familiar, e sociedade a níveis individual, nacional e internacional. Eles disparam violentos e cegos tiros aqui e ali, lutando na escuridão e sem nenhuma semelhança de luz, quer seja na sua visão, abordagem, programação ou projecções. Eles estão a ver tudo a partir da percepção de olhos mortais e não como a sua urgente necessidade pela Orientação Divina e o modelo de vida que o Mensageiro definiu nos seus mais mínimos detalhes para que os seres humanos seguissem. É por isso que o homem falhou em todas as suas programações, projecções e sistemas artificiais quer fosse no feudalismo, na monarquia, no capitalismo, no socialismo, no comunismo e na democracia secular ou na ditadura militar. Todos eles multiplicaram os problemas humanos e proveram algum alívio temporário homônimo. Os problemas estavam gradualmente se amontoando e se acumulando em tamanho do Himalaia.

   Na sequência, a humanidade perdeu toda a sua esperança. A vindoura era da Globalização, Comércio Mundial e formação de diferentes Grupos de Mercados sob o padrão de EUC serão obrigados a fracassar dado que o seu objetivo é explorar as necessidades humanas e empobrecer os recursos dos países sub-desenvolvidos e países em desenvolvimento pelo mundo, para adicionar alguns graus ao padrão de vida dos países desenvolvidos à custa do aumento dos níveis de pobreza cada vez maiores nos países pobres. Ao negar a existência da Orientação Divina e o papel do Mensageiro da época, a humanidade não pode mais sobreviver. Não tinha nehuma outra escolha se não virar a sua face para seguir o modelo de vida do Profeta Muhammad (que a paz esteja com ele) com todas as esperanças e expectativas, e só depois chegaria lá. Vejamos as esperanças, que a vida do Mensageiro do tempo, Profeta Muhammad, tinha guardado para o sofrimento da humanidade que todos os secularismos não puderam de todo prover.

O Primeiro Passo Em Construir O Destino da Humanidade

  Após a sua nomeação como Mensageiro de Allah na caverna de Hira em 610 CE [Era Cristã], Profeta Muhammad (que a paz esteja com ele) concentrou-se nos indivíduos, o centro épico de todos os problemas e corrupções na terra. Ele corretamente concluiu que se os indivíduos fossem corrigidos, reformados e o seu caráter fosse reconstruído na base do temor a Allah e prestação de contas no Akhirah (Vida após a morte), a sociedade como um todo poderia ser reconstruída de novo sobre fundamentos morais equilibrados. Como tal:

Ele cementou as relações de cada indivíduo com o seu Criador e Sustentador;

  • Cada indivíduo é um administrador do que Allah o concedeu e não o seu mestre ou proprietário;
  • Cada um é responsável perante Allah por todas as suas ações e obras na terra e na vida após a morte;
  • Ele apresentou a sua vida como um modelo para que todos os indivíduos seguissem em todas as etapas da vida até à eternidade.

   O Profeta Muhammad (que a paz esteja com ele) fez todos os esforços em remodelar os seus companheiros sobre estes princípios e fez deles as pessoas mais confiavéis do tempo. Esta era a sua equipa de trabalhadores que ele primeiramente construiu e eles eram os instrumentos em mudar toda a sociedade sob o conceito de Tawheed (Unicidade de Deus), Amanah (Confiança), Akhirah (Vida futura) e a sua Profecia. Ele purificou os seus companheiros e motivou-os a propagar a missão do Islam aos quatro cantos do mundo. O seu Kalimah (slogan): La Ilaha Ilallah, Muhammadun Rasulullah (Não existe divindade digna de ser adorada exceto Allah e Muhammad é o Seu Mensageiro) era na verdade, o mais revolucionário slogan político e uma força motivadora que manteve os seus seguidores sempre ativos, motivados e envolvidos no serviço da humanidade: ser bom para com os outros, em remover o mal da sociedade e estabelecer o Ma’roof (tudo o que é bom) ao redor do mundo. Este benevolente caráter que ele criou entre os seus seguidores foi em servir-se a si mesmo como o seu modelo em todos os aspectos da vida. Ele, dessa forma, transformou a sociedade Árabe da Jahiliyah [ignorância] numa sociedade benevolente e consciente de Allah em toda a sua vida, dentro do período limite de 23 anos. Este é o seu modelo prescrito, bem-praticado e confiado para que a humanidade siga até a eternidade. Se a humanidade hoje deseja remover corrupção, favoritismo, nepotismo e discriminação em todas as suas formas e condições, das suas fileiras e ficheiros, este é o único caminho agora deixado, para a humanidade aceitar e seguir a única esperança para obter justiça, paz e um harmonioso equilibrado desenvolvimento no mundo.

Profeta Muhammad (que a paz esteja com ele), a Mais Inspiradora Figura da História

  • Ele era muito amável e misericordioso, e cheio de preocupação pelos crentes em Allah [Quran 9:128];
  • Ele era do mais alto nível de moralidade [Quran 68:4];
  • A sua (que a paz esteja com ele) moralidade era a personificação do Qur’an [Hadith – Ditos do Profeta Muhammad, que a paz esteja com ele]
  • Ele confirmou, “Eu fui enviado para aperfeiçoar a moralidade”. [Hadith – Ditos do Profeta Muhammad, que a paz esteja com ele];
  • Ele foi o Mensageiro para toda a humanidade [Quran 7:158];
  • Os Árabes reconheceram-no unanimente e costumavam chamá-lo de Al-Sadiq e Al-Ameen [o Verdadeiro e o Confiável];
  • Ele nunca falou do seu próprio desejo e “isto [o que vos comunica] não é senão [uma Divina] inspiração com a qual está a ser inspirado” [Qur’an 53: 3-4];
  • Ele disse, “Ana Afsahul Arab” [Eu sou a pessoa mais eloquente dentre os Árabes];
  • Um extraordinário defensor e promotor do “Ilm” [conhecimento] na sociedade;
  • “Talabul Ilm faridhatun ala kulli Muslim” [Adquirir conhecimento é obrigatório para todo Muçulmano [ e Muçulmana] – Hadith – Ibne Ma’jah];
  • Ele era o mais ideal e perfeito Da’ee Ilallah (Chamador para Allah) para todos os tempos por vir;
  • Ele declarou a primeira Carta dos Direitos Humanos em 631 CE [Era cristã] a partir do Monte de Arafat quando realizou o seu primeiro e último Hajj;
  • Ele era o mais ardente defensor dos direitos humanos, direitos dos assalariados, e os direitos das mulheres, muito benevolente para com os escravos, os cuidadores dos viajantes, oprimidos e os orfãos;
  • Ele estabeleceu o conceito de igualdade entre os seres humanos, erradicou todos os tipos de discriminação por motivos de cor, raça, riqueza, língua e limites geográficos. Ele fez de Bilal bin Rabah [que Allah esteja satisfeito com ele], um escravo Africano livre de Eritreia, o Moazzin (chamador para a oração) da sua Mesquita e o seu tesoureiro pessoal.
  • Ele foi um pai afetuoso, um marido atencioso e amável, um vizinho ideal, um comerciante confiável e honesto, um administrador eficiente, um líder visionário e um general brilhante. Em resumo, ele foi o ser humano mais realizado. Quem quer que tivesse contato com ele amava-o, incluindo os seus adversários. Ele é o mais perfeito ideal em todos os aspectos da vida para qualquer indivíduo e sociedade seguir como modelo, a única esperança da humanidade para distribuir Khair [bondade] para todos os que resolvem segui-lo e aos seus ensinamentos.

Construindo Uma Sociedade Humana Modelo

O Profeta Muhammad (que a paz esteja com ele) primeiro construiu a sua equipa de trabalhadores sobre as linhas indicadas acima. Chamámo-los Sahabah (Companheiros) por reverência. Ele construiu-a através de contactos de pessoa para pessoa, que por vez se tornaram os líderes da sociedade Islâmica que ele estabeleceu na Península Árabica baseada nos princípios de igualdade, justiça e total segurança social para o pobre, necessitado, destituído, mal-nutrido, desempregado, incapacitado e viajantes – os desfavorecidos, através de um bem-estabelecido sistema de segurança social do Islam que defende: “Recolhem dos vossos ricos e retornem de volta aos vossos pobres e necessitados.” [Hadith]

   Ele (que a paz esteja com ele) construiu uma sociedade na qual justiça era livre, educação era obrigatória e livre para todos. Era livre de corrupção e favoritismo. Taxa de crime era extremamente baixa, na medida que muitas vezes prisões eram encontradas vazias. Situação de lei e ordem era tão perfeita que uma senhora idosa podia viajar de Sana’a a Hazarmaut, uma distância de aproximadamente 1,000 milhas com ouro nas suas mãos e ela não tinha qualquer temor exceto de Allah. Adi bin Hatim, confirmou isto pela sua própria observação.

Conclusão

   O mencionado acima, prova sem sombra de dúvida o padrão de vida que o Profeta Muhammad (que a paz esteja com ele) demonstrou ao mundo, e o sistema de vida que ele entregou à humanidade é agora a única esperança da humanidade obter justiça, paz e segurança na terra. Quanto mais a sua adoção é atrasada, mais se afasta do seu estimado objetivo de alcançar perfeição em transformar a permanência do homem num berço de paz e livre de exploração; onde ambos o rico e o pobre se sentirão contentes nos seus respetivos domínios e onde a oportunidade de progresso estará disponível para todos, e a diversidade sem qualquer preconceito como um direito de todos os seres humanos. A Humanidade pode alcançar este objetivo apenas quando aceitar a liderança do Profeta Muhammad (que a paz esteja com ele) como a única esperança para a sua sobrevivência.

 

Fonte: GainPeace

Tradução por: Mariama Moreno


You have no rights to post comments