Dia Três: Dos Pareceres do Jejum do Ramadan

Dia Três: Dos Pareceres do Jejum do Ramadan

Meus irmãos: De fato, jejuar o Ramadan é um pilar do Islam. Allah diz: “Ó vós que credes! É-vos prescrito o jejum, como foi prescrito aos que foram antes de vós, para serdes piedosos, durante dias contados. E quem de vós estiver enfermo ou em viagem, que jejue o mesmo j número de outros dias. E impende aos que podem fazê-lo, mas com muita dificuldade, um resgate: alimentar um necessitado. E quem mais o faz, voluntariamente, visando ao bem, ser-lhe-á melhor. E jejuardes vos é melhor. Se soubésseis! Ramadan é o mês em que foi revelado o Alcorão, como orientação para a humanidade e como evidências da orientação e do critério de julgar. Então, quem de vós presenciar esse mês, que nele jejue; e quem estiver enfermo ou em viagem, que jejue o mesmo número de outros dias. Allah vos deseja a facilidade, e não vos deseja a dificuldade. E fê-lo para que inteireis o número prescrito, e para que magnifiqueis a Allah, porque vos guiou, e para serdes agradecidos.”


E o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “O Islam é construído sobre cinco pilares: o testemunho de que não há nenhum deus além de Allah e que Muhammad é o mensageiro de Allah; o estabelecimento de orações regulares (salah); pagar o zakat; Hajj (peregrinação) e jejum do Ramadan” (Muttafac alaihi). E no Sahih Muslim o jejum no mês de Ramadan é mencionado antes da peregrinação. Todos os muçulmanos concordaram com a obrigação de jejuar durante o Ramadan. É claramente obrigatório na religião do Islam. Se alguém nega que é uma obrigação, então descreu e deve se arrepender; caso contrário, morrerá como um incrédulo que apostou no Islam: não será lavado, nem receberá o kaffan, nem haverá salatul janaza para ele, nenhuma dua’ será feita para que ele receba misericórdia e também não será enterrado em um túmulo muçulmano, ao contrário, deverá ser aberto um buraco distante para receber o seu corpo, para que não prejudique os outros com seu mau cheiro ou prejudique sua família com sua presença.

O Ramadan se torna obrigatório no segundo ano da Hégira. Então, o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) jejuou por 9 anos e o jejum passou por dois estágios:

O primeiro estágio foi o de que uma pessoa podia escolher entre jejuar e alimentar uma pessoa pobre, sendo o jejum preferível.

O segundo estágio foi jejuar sem a escolha, como é declarado no Sahihein, sob a autoridade de Salama bin Al aku’u (que Allah esteja satisfeito com ele): quando o versículo “E impende aos que podem fazê-lo, mas com muita dificuldade, um resgate: alimentar um necessitado” foi revelado, quem não quisesse jejuar alimentaria uma pessoa, até que o versículo seguinte revogasse o versículo original, dizendo: “Então, quem de vós presenciar esse mês, que nele jejue; e quem estiver enfermo ou em viagem, que jejue o mesmo número de outros dias.Então, Allah tornou obrigatório sem dar uma escolha. O jejum não é obrigatório até que seja certo que o início do mês foi alcançado e não há jejum antes do início do mês, como disse o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele): “Nenhum de vós deve jejuar um ou dois dias antes do Ramadan, exceto o homem que costuma jejuar. Este poderia jejuar naquele dia.” (Bukhari)

E o início do mês é determinado de duas maneiras:

A primeira maneira é ver a nova lua crescente, como Allah diz: “quem de vós presenciar esse mês que nele jejue e o dito do Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele): “Se vós virdes a lua crescente, então jejuai”. (Muttafac alaihi) Não é uma condição que todos tenham que ver pessoalmente a lua crescente, se alguém de confiança testemunhar, é obrigatório que todos jejuem.

A testemunha deve ter um cérebro maduro (adulto), ser muçulmano, confiável e também ter uma boa visão. Quanto a alguém muito jovem, ou uma pessoa insana, seu testemunho não deve ser levado em consideração. Além disso, um incrédulo não deve ser tomado como testemunha, como relatado por Ibn Abbas (que Allah esteja satisfeito com ele), que disse: Um beduíno veio ao Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) e disse: “De fato, vi a lua crescente para o início do Ramadan”, de modo que o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “Tu testemunhas que não há divindade digna de adoração, exceto Allah? ” ele respondeu “Sim”, depois perguntou: “Tu testemunhas que Muhammad é o mensageiro de Allah?”, ele respondeu: “Sim”, e, então, disse: “Ó Bilal! Diz às pessoas para jejuarem amanhã.” (Narrado pelos cinco, exceto por Ahmad)

Entre os que não devem ser considerados como testemunha, incluem: uma pessoa conhecida como mentirosa, uma pessoa apressada ou impulsiva, uma pessoa com visão fraca, o que impossibilite o avistamento. É possível que o Ramadan comece com o testemunho de uma pessoa, como afirma Ibn Umar (que Allah esteja satisfeito com ele): “As pessoas viram a lua nova, então eu disse ao Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele), e ele jejuou e ordenou que as pessoas jejuassem.” (Abu Dawud e Al Hakim) e no Sahih Muslim foi dito: “Quem quer que aviste, é obrigatório que informe aos líderes da Ummah.” O início do jejum, dia do ‘eid e Hajj são todos realizados sob o mesmo procedimento. Se alguém está em um lugar distante e avista a nova lua crescente, deve jejuar e fazer o possível para fazer essa notícia chegar aos líderes da Ummah. E se a notícia do início ou do final do mês chegar a alguém antes que o governo a transmita, é obrigatório acompanhar o noticiário. É uma prova islâmica legal que deve ser adotada, pois o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) ordenou que Bilal dissesse ao povo que jejuasse assim que soubesse do início do mês, e tornasse obrigatório que as pessoas jejuassem.

Se o início do mês é islamicamente legal, não há necessidade de cálculo (manazil) da lua. Porque o Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) tomou a decisão de acordo com o avistamento da lua, e não pelo seu cálculo, quanto a isso, ele (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) disse: “Quando avistardes a lua crescente, jejuai; e quando avistardes a lua crescente, quebrai o jejum”. (Muttafac alaihi). Ele (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) também disse: “Se duas testemunhas muçulmanas virem a lua nova, então, jejuai e quebrai o jejum”. (Ahmad)

A segunda maneira de iniciar o mês é finalizando o mês anterior. Os meses lunares podem ser apenas 29 ou 30 dias. Na maioria das vezes, você descobrirá que 1 ou 2 meses seguidos são 30 dias e o terceiro mês 29. Portanto, quando o mês anterior atingir 30 dias, a decisão legal será iniciar o próximo mês, mesmo que você não veja a lua. Como o Profeta disse: “Jejuai quando avistardes a lua crescente, e quebrai seu jejum quando avistardes a lua crescente, e quando não puderdes vê-la, contai 30 dias.” (Muslim) e no Bukhari o final diz: “Se estiver muito nublado, terminai 30 dias de Sha’baan”. Em Sahih Ibn Khuzamaa, está relatado que Aisha (que Allah esteja satisfeito com ela) disse: “O Profeta (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele) costumava memorizar os dias em Sha’baan mais do que em outros meses, depois jejuava ao avistar a lua crescente, se ele não pudesse vê-la, contaria 30 dias e jejuaria.” (Também narrado em Abu Dawud e Dar Qutni, que o declararam Sahih)

Com esses ahadith, ficou claro que o Ramadan não é iniciado sem a visão da lua crescente; se você não a vir, termine o Sha’baan e não jejue no trigésimo dia. Como disse Ammar bin Yassir (que Allah esteja satisfeito com ele): “Quem quer que jejue no dia em que houver dúvidas sobre o Ramadan, essa pessoa desobedeceu a Abul Qaasim (que a paz e as bênçãos de Allah estejam sobre ele)”. (Abu Dawud, Tirmidhi e An-Nasa’i)

Ó Allah! Dá-nos a capacidade de seguir as orientações, e fazer deste mês um mês de benefícios e bênçãos, e ajuda-nos a obedecer-Te e mantenha-nos longe do caminho da desobediência a Ti. Perdoa-nos, e aos nossos pais e aos muçulmanos, através de Tua misericórdia. E envia Tua paz e bênçãos ao profeta Muhammad e à sua família e companheiros e àqueles que o seguem até o dia do julgamento.

Continua amanhã…

Siyam e Ramadan